Meg Cabot


Meg Cabot é minha diva!!! Muito clichê? Eu sei, mas não tem como começar esse post sem dar uma tietada nela, é a autora da qual eu, mas já li livros, entre eles toda a serie da Heather Wells, minha preferida indiscutivelmente, a serie A mediadora que eu já li os cinco primeiros, só falta o ultimo, vou sentir muita falta das loucuras da Suzannah, a serie A garota americana que foi meu primeiro livro da Meg, que eu li em 2006 e ainda tem uma seqüência que é sensacional, a Série Boy que eu já li os dois primeiros, e amei muito, ainda mais por que uma das personagens é assistente social, assim como eu serei em breve, e por ultimo e não menos importante a serie A rainha da fofoca, que eu já li o primeiro e chorei de tanto ri com as confusões em que a Lizzie se mete. E ainda pretendo ler mais, tem as continuações, os livros novos, os antigos, só sei que se a Meg escreve eu paro para ler.

Meg nasceu na cidade de Bloomington no estado de Indiana, em 1 de fevereiro de 1967, Meg teve uma adolescência difícil, na qual ela se considerava feia e detestava usar óculos, mas por isso toda adolescente passa, porém, o pai de Meg era alcoólatra, e ela morria de vergonha de receber suas amigas em casa, além de ficar sempre angustiada, e sofrer bullying na escola. E depois da morte do seu pai, sua mãe passou a se relacionar com um dos seus professores, o que a deixou muito mal, por isso ela buscava na literatura uma forma de escapar da realidade. 

 
Seu livro de estréia foi o Diário da Princesa, que conta a historia de uma adolescente que descobre ser herdeira de um trono em um país fictício da Europa, e mostra como ela lida com todas essas novidades que mudam drasticamente sua vida, nesse livro a autora relata também fatos autobiográficos como o namoro da mãe da protagonista com um de seus professores, e o fato da personagem se dar mal na matéria de álgebra, assim como ocorreu com ela. Meg diz que seus livros são como válvulas de escape para fugir dos problemas típicos da adolescência, é desse tipo de literatura que sentia falta quando era adolescente. Para se manter em sintonia com o publico jovem, Meg colhe várias historias através de seu site na internet, mas, sobretudo ela admite que a idade mental dela é de uma adolescente de 14 anos, e afirma  que “como não pude viver essa fase plenamente, virei adolescente depois de adulta”. Desde seu livro de estréia em 2000 Meg, já lançou mais de 60 livros, em media a autora lança 5 livros por ano, mas sem perder a qualidade.

Formada em Artes, Meg decidiu se mudar para a cidade de Nova York para trabalhar como ilustradora, o que não deu certo, tendo que procurar outro meio de se sustentar, Meg passou por vários empregos. Incentivada pelo namorado (hoje seu marido) Meg começou a escrever seriamente o gênero de ficção quando tinha vinte e poucos anos. Seu livro de estréia O diário da princesa levou mais de 10 anos até ser finalizado, período em que trabalhou na universidade de nova York, como assistente de dormitório. É casada com Benjamin D. Egnatz desde 1993, eles se casaram no dia 1 de abril (conhecido no Brasil como o dia da mentira, e nos EUA o dia do tolo), o que foi uma brincadeira da Meg, por que o seu marido dizia que só os tolos se casam. Hoje Meg mora em Key West, Florida, vive em uma mansão do século XIX, com o marido ex-executivo de Wall Street, que hoje se dedica à culinária, segundo Meg “a principal atividade dele é cuidar de meu estomago”, o casal não tem filhos, pois a escritora teve que se submeter a uma cirurgia que a deixou estéril, tema que deixa Meg muito triste e sobre o qual ela não gosta de falar.


Agora Meg esta lançando um livro sobre vampiros - Insaciável - e sobre isso ela fala “eu não sou fanática por historias de vampiros, mas eu amo a cultura pop. E historias de vampiros fazem parte da cultura popular a milênios”, a autora revela também que prefere os vampiros mais assustadores, quando perguntada se inspirou-se na saga crepúsculo, na serie True blood, ou em alguma historia do gênero. Meg diz que queria trazer de volta os mitos originais de vampiros, especialmente os de Drácula de Bram Stocker, e que queria introduzir uma protagonista forte, que não fica sentada esperando ser salva, mas que esta travando lutas para salvar o mundo. Estou doida para ler mais esse livro da minha querida Meg, espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouquinho mais sobre essa autora que é maravilhosa.

1 comentários:

  1. Eii Juliana,
    A Meg é realmente muito diva,e adorei esse post,ficou muito bom,adorei conhecer um pouquinho mais sobre esse autora maravilhosa.Adoro o Dia´rio da Princesa, foi o primeiro livro que li dela,e agora estou morrendo de vontade de ler Rainha da Fofoca,e Insaciável,são bons??
    Adorei sua blog.
    Beijos,Joyce

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.