Resenha: Quando cai o raio - Meg Cabot / Galera Record


 



Ao voltar da escola para casa a pé Jéssica é surpreendida por um forte temporal, e acaba sendo atingida por um raio, nada de muito grave acontece com ela a não ser uma estranha mancha na pele, quando alguém é atingido por um raio você espera diversas coisas, mais nunca que esse alguém vai adquirir poderes extra-sensoriais.

Após ser atingida pelo raio Jéssica adquire a peculiar habilidade de encontrar pessoas desaparecidas, basta ver uma foto delas, que após dormir sabe o paradeiro dessas pessoas, é algo involuntário que simplesmente acontece. Mais uma coisa para acrescentar na agitada vida de Jéssica, apesar de ser só uma estudante de ensino médio, está sempre brigando na escola (e quando eu digo brigando, vocês precisam saber que a primeira cena do livro é Jéssica dando um soco no quarterback do time de futebol americano da escola) sempre por um bom motivo claro, como defender sua melhor amiga, e além disso enfrenta algumas situações dificieis em casa, como o problema de esquizofrenia do irmão mais velho.

É assim que ela acaba descobrindo o paradeiro de duas crianças que tinham a foto estampada na seção de desaperecidos nas caixas de leite. Aquilo a assusta muito, já que como é que ela pode ter certeza de onde aquelas duas crianças estão, se ela nunca as viu. Com medo de acharem que ela esta louca Jéssica acaba fazendo uma ligação anômima para o disque-desaparecidos revelando onde estão as crianças, e não conta nada mais  para ninguém.

O pior ou melhor? é que aquela sonho não foi um evento isolado, estão ocorrendo frequentemente por isso ela se envolve ainda mais nessa história. É assim que ela descobre fazendo outra ligação para o disque-desaparecidos que as aquelas duas crianças tinham sido achadas, e que ela ainda tinha uma recompensa para receber.

Com peso na consciência de saber onde estão várias crianças ela faz outras ligações, o que acaba chamando atenção do governo e lhe arrumando um problemão, por que o FBI que interrogá-la e provavelmente usá-la como arma para achar criminosos, e como desgraça pouco é bobagem ela acaba descobrindo que uma das crianças que ajudou a encontrar, na verdade foi sequestrado pela mãe para fugir de um pai violento.

A Meg sempre cria personagens fantásticas e Jéssica não fica atrás, eu achei ela uma mistura de Suzannah Simon da série A Mediadora, da mesma autora e Rose Hathaway da série Academia de Vampiros da Richelle Mead, juntas essas três conquistariam o mundo tenho certeza disso, e então você pode imaginar o que ela faz a seguir. 

Claro que ela não vai deixar o governo usá-la da forma que bem entender e óbvio que ela vai querer concertar a burrada que fez quando achou que estava ajudando aquele menino, Jéssica Mastriani, um metro e meio de altura com punhos de aço não deixará ninguém usá-la. Mas como fugir do governo e como ajudar o garoto?, para isso Jess contará assim como as outras personagens que eu citei acima, com os amigos, um gato muito lindo,  sua esperteza e um tanto de sorte.

Vocês queridos leitores que acompanham o blog já devem ter percebido que eu sou um tanto quanto fã da Meg Cabot e sempre estou proferindo elogios aos livros dela. Alguns podem até achar que é exagero e que a histórias da Meg não são assim tão especias como faço parecer saiba que eu te perdôo, talvez eu não seja parcial nas resenhas dos livros dela ok eu confesso, mas é que eu sempre acho tão bons, tão perfeitos que eu preciso dizer para vocês o quanto são bons e perfeitos, entendem?

A história é bem engraçada, está certo ser atingida por um raio não tem graça, mas não é dessa parte que eu estou falando, mas se bem que ficou engraçado no livro, estou falando sim de toda trama que se desenrola a partir do momento que Jéssica é atingida pelo raio e passa a ter super poderes. 

O primeiro encontro de Jéssica com os agentes do FBI é explosivo, vocês não acredita, só saibam que alguém acaba com o nariz quebrado. E tem todo o drama do garoto que ela vê impelida a ajudar, e claro como não podia faltar tem Rob, o bad boy da escola,que não poderia faltar é claro. Meg é gênia ao fazer os mocinhos mais lindos da literatura, e vai por mim Rob não fica nada atrás.

Então minha gente espero que vocês tenham gostado da resenha. É sempre um prazer ler fazer resenhas dos livros da Meg, e espero que vocês gostem dela por que terá muitas mais resenhas por aqui, eu acabei de reler Tamanho 42 não é gorda e faço questão de trazer para vocês a resenha do meu livro preferido da Meg, e como consumo desenfreado e minhas trocas no skoob estão aumentando consideravelmente a quantidade de livros dela que eu tenho para ler é enorme. 

Eu já estava pensando há um tempo de por ao final da resenha o link para os principais sites de compra de livros, o que vocês acham da idéia?


Nota:

18 comentários:

  1. Sou apaixonada por essa série!!!! Li ela inteira antes mesmo da Record enfim publicá-la aqui,e concordo com tudo o que você disse. E se você amou esse, espera o resto, é um melhor que o outro rsrs.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    http://vceoqueler.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que bom saber que a série só melhora, eu adorei mesmo, adorei o jeito maluquinho da Jéssica.

      Beijos

      Excluir
  2. Adorei sua resenha, uma das melhores que já li! Eu queria ler esse livro, mas minha vontade esfriou e agora estou com vontade de dar uma chance de novo HAHAHA Todo mundo fala muito bem dessa série. Até hoje só li a série A Mediadora, Cabeça de Vento e Diário da Princesa, este último não curti muito e por isso dei um tempo nos livros da Meg Cabot. Mas vamos ver, pelo menos ela tem uma ótima narrativa :D

    Beijos,
    whosthanny.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigado pelo elogio!
      As pessoas tem uma relação de amor ou ódio com a Meg Cabot, eu é claro amo muiiiiiito os livros dela. Eu confesso que nunca tive muito interesse em Diario da Princesa, mais A Mediadora é muito bom. Tem vários outros ótimos livros dela, o que eu mais gosto é a série Heather Wells.

      Excluir
  3. Amo suas resenhas, e as dos livros da Meg mais ainda, só me dá mais vontade ainda de ler os vários livros dela <3
    Acho ótimo você colocar os links pra compra dos livros, facilita a vida viu. rs

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigado!
      Eu amo a Meg, dá para perceber né, é sempre prazeroso fazer as resenhas.
      Eu vou passar a por a partir do mês que vem, acho que fica mais fácil assim.

      Beijokas

      Excluir
  4. Ju como sempre adorei sua resenha =)
    Confesso que ainda não li nada da Meg mas minha próxima leitora será "Garota America" =)
    Já que vc gosta tanto e tem tantos livros dela para ler, deveria criar "O DIA MEG" e sempre postar algo sobre ela, o que acha??? Resenhas, curiosidades, etc =0
    bjão e sucesso!!!!

    p.s. comentei em sua resenha sobre o livro "Qual seu número?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline que bom que gostou da resenha, A garota Americana é ótimo, foi meu primeiro livro da Meg, eu amo muito a historia.
      Eu adorei a idéia do Dia da Meg, acho que vai ficar bem bacana uma coluna assim, beijos!

      Excluir
  5. As personagens da Meg são sempre muito legais mesmo e se a Jéssica é uma mistura da Rose e da Suzannah ela deve ser demais.
    Mesmo sendo um livro da Meg eu nunca tive muito interesse em lê-lo, a história dele não me atraiu, sabe?
    Mas com cinco estrelinhas a possibilidade de leitura não esta descartada.

    Beijos
    Caline - Mundo de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro os personagens da Meg, tanto as femininas quanto os mocinhos. Jéssica é bem esquentadinha e as coisas depois que ela atingida pelo raio viram uma bagunça. O livro é muito bom!

      Excluir
  6. Oi Jú, tudo bem? *-* Fiz uma CONVOCAÇÃO para todas as blogueiras no meu blog, dá uma olhada e participa, por favor? *-*
    http://ogato-leitor.blogspot.com.br/2012/05/convocacao-para-todas-as-blogueiras.html

    ResponderExcluir
  7. Oi flor!
    Eu não conhecia esse livro, acho que é pq tenho receio com a Meg, achei a estória super interessante, deveria ter gente assim na vida real assim tantas pessoas seriam encontradas. Mas tudo tem seu lado ruim e parece que a autora não esqueceu nada..rsrs

    Tem resenha e promo nova no blog se puder conferir..
    Beijos
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria ótimo se existissem pessoas que tivessem essa habilidade de encontrar pessoas desaparecidas, são tantas pessoas e isso causa tanto sofrimento.
      Beijos

      Excluir
  8. Eu sou LOUCA APAIXONADA TARADA pela Meg Cabot!
    Inexplicavelmente eu ainda não li essa obra e estou aqui desesperada para obtê-la logo logo, após ler a sua resenha fantástica!

    Eu adoro a Suzannah Simon de paixão, e a série "A Mediadora" é a minha favorita!
    Eu quero ler esse livro, eu PRECISOOOOOO T_T


    P.S.: Adorei visitar teu blog!!

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então somos duas! Eu também sou louca pela Meg Cabot.
      Essa série é muito boa, e me disseram que fica melhor a cada livros, que são cinco.
      A Su é demais, eu amo ela também!

      Bjs

      Excluir
  9. Oie
    Meg Cabot hein...sei... hahahahahahah To brincando com vc, pq nunca li nenhum livro dela então nem tenho como opinar e vc deve pensar que sacrilégio rsrsrsrs
    Um amigo meu foi atingido por um raio jogando futebol, ele não ganhou super poderes, rsrsr, ficou meio pancada e as vezes ele ta normal e tem uns apagões e fica horas congelado...
    Sempre penso que a vida poderia ser mais divertida se super poderes existissem neh, no minimo seria mais emocionante rsrsrs
    bjossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coitado do seu amigo, que coisa. Seria mesmo melhor se existisse super poderes, ia ser interessante, já que super vilões já existe, deveria ter tb os super heróis para contrabalancear.
      Não acho um sacrilégio você ainda não ter lido nada da Meg, nunca é tarde para começar, fica a dica! Rsrsrs

      Excluir
  10. Oi Ju!
    Eu ainda não li esse livro, mas também amo a Meg Cabot ela é d+. As histórias que ela cria são incríveis. Já faz algum tempo que quero ler esse livro, mas são tantos os que desejo que acabo esquecendo. Preciso voltar a comprar livros da Meg,adoro a série a Mediadora e a minha coleção ainda está incompleta. ;)
    Adorei sua resenha!
    Beijos.

    Rafa{Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.