Um clássico por mês: Um Estudo em Vermelho - Sir Arthur Conan Doyle / Martin Claret



O mais importante nessa história não é o crime e a investigação – essa parte se dá muito facilmente – e sim a forma como Sherlock e Watson se conheceram, como se deu o início dessa parceria.

Watson é um médico que lutou na guerra do Afeganistão e por ter sofridos alguns ferimentos voltou para Londres e passou a viver de uma pensão. Estava procurando um lugar com um aluguel mais barato que coubesse no orçamento, é assim que por meio de um conhecido em comum, descobre que Sherlock estava à procura de uma pessoa para dividir o aluguel de uma casa.

É dessa forma que os dois se conhecem, meio que ao acaso, quem poderia dizer que se tornariam tão famosos. Sempre tive a impressão de que Watson fosse meio que um vassalo de Sherlock, não sei por que, pelo menos nesse primeiro volume e nos filmes mais recentes não é isso que acontece, e sinceramente acho muito mais interessante eles dois como parceiros do que o doutor sendo um capacho do detetive.

Desde que eu tomei consciência de que ler era muito bom, as histórias de Sherlock Holmes entrou para minha lista de livros "preciso ler". Mas levei bastante tempo para começar, e mesmo depois dos filmes com o Robert Downey Junior – que eu adoro, mesmo que não tenha nada a ver com os livros – eu ainda levei mais um tempo, foi só depois de um conto do Neil Gaiman – Um estudo em esmeralda -  que eu decidi que precisava ler urgentemente. 

Um livro curtinho – mas, um dos quatro maiores dos 60 publicados – com uma história pouco complexa, mais triste. Depois da morte misteriosa de um americano numa casa abandonada a Scotland Yard pede o auxílio – do ainda jovem – Sherlock, que para aplacar a curiosidade de seu companheiro de moradia, decide levá-lo também à cena do crime.

Gosto da forma como Sherlock faz com que os detetives da polícia inglesa pareçam idiotas a cada cena que eles compartilham, ainda mais lidando com uma competição boba entre Lestrade e Gregson – que são aparentemente os melhores detetives da Scotland Yard, mesmo não tendo provas a respeito disso – que são facilmente enganados pelas pistas falsas que o assassino deixa.

Sherlock por outro lado descobre com uma facilidade assombrosa – pelo menos para o doutor – o caso em questão. Não é um caso surpreendente, nem muito difícil de ser solucionado, apesar das mancadas da Scotland Yard, e o assassino não é uma pessoa com da qual você vai sentir raiva, depois de saber sua história que ele próprio conta, você vai se solidarizar com ele, tenho certeza.

Quando Sherlock e Watson vão morar na mesma casa é com muita curiosidade que o doutor avalia o novo companheiro, o detetive tem uma personalidade peculiar, as vezes se dedicava a um trabalho de forma exaustiva de manha até a noite, outras vezes caía numa inércia e não movia um músculo o dia todo, e isso alimentava por demais a curiosidade de Watson, somada as misteriosas reuniões que ele mantinha com diversas pessoas desconhecidas, fazia com que ele ficasse o dia todo a analisar o que o outro fazia da vida.

Mas ele não demorou muito a descobrir ao que o outro se dedicava, não poderia ter suposto, visto que ele mantinha hábitos deveras estranhos, foi com surpresa que descobriu que ele era um detetive, e mesmo não acreditando em sua técnica de dedução vai com ele na cena do crime, e ali meio que se estabeleceu um vínculo, que se perpetuou por mais diversos contos.

Não preciso nem dizer o quanto eu gostei do livro, primeiro por que ora é um livro policial, e eu amo livros policias, e segundo apesar de ver muitas pessoas dizendo que não gostam da personalidade “EXCÊNTRICA/ESTRANHA/PREPOTENTE” do detetive,  é exatamente isso que eu gosto nele, o fato dele ser egoísta, não sei por que, mais isso é uma coisa que me atraia demais no personagem. E o contraponto que Watson faz com ele, é uma coisa que eu gosto, já que o doutor é mais centrado e sociável, coisa que o detetive nunca é.

Sobre o autor:

Sir Arthur Ignatius Conan Doyle nasceu em Edimburgo no dia 22 de maio de 1859, é mais famoso por ser o escritor do detetive mais conhecido do mundo. Conan Doyle cresceu numa família católica, mas mais velho se tornou agnóstico e após uma série de eventos trágicos em sua vida se tornou espírita, formou-se em medicina na Universidade de Edimburgo em 1881. Casou-se duas vezes e teve oito filhos, morreu em 7 de julho de 1930. 

Por que você deve ler:
Quase todo mundo gosta do Sherlock Holmes - bom, assim eu acho - esse já é um motivo pelo qual você deve ler o livro. E se você já que ler, mais não sabe por onde começar, nada melhor do que começar pelo início. A história é curtinha, o livro é barato, tem uma história bacana, enfim há muitos motivos para você se deliciar com a história.

Importância Histórica:
O livro é uma introdução para as demais histórias, o caso se resolve facilmente, e o mais importante é o início da relação entre Watson e Sherlock.

Curiosidades:
Ano de publicação: 1888
Título Original: A Estudy in Scarlet
País de Origem: Reino Unido
Capa Original:

Minha Edição:


* No manuscrito original os nomes do detetive e do doutor eram respectivamente, Sherringford Holmes e Ormond Sacker;

* Foram publicados ao todo 60 histórias de Sherlock, sendo 56 contos e 4 romances;

* O autor matou o personagem no conto The final problem, mas desagradou tanto o publico que ele retornou com o personagem em A Casa Vazia, com a explicação de que só Moritaty havia morrido e Sherlock estava escondido.



23 comentários:

  1. Concordo com você em TUDO! Você sentiu exatamente o mesmo que eu...
    Me apaixonei pelo assassino, e ele na verdade (não me entenda mal) tinha um motivo, mesmo errado!
    Adorei tua resenha!
    Beijos

    Lendo de Tudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade não tem como não sentir nada por ele, afinal ele recebeu uma pena muito maior do que o morto.
      Obrigado!!

      Excluir
  2. Aah, nunca tenho muita vontade de ler muitos clássicos, mas esse me chamou a atenção. Já tinha ouvido falar de Sir Arthur Conan Doyle, só que ainda não me tinha despertado a vontade de ler nada dele.
    Não sabia que ele tinha escrito Sherlock Holmes.
    Beijos Ju!
    The Books Thief

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você sentiu interesse em ler a história, ela é bem curtinha e barata, vale a pena. Ainda mais por ter uma história boa.

      Beijos.

      Excluir
  3. O único livro que eu li do Arthur Conan Doyle foi O cão dos Baskerville quando eu ainda estava na sétima~oitava série, mas to pretendendo comprar outros livros em breve pra conhecer um pouco mais sobre um dos detetives mais famosos do mundo.
    E eu não sabia como o Sherlock e o Watson tinham se conhecido. Mas agora sabendo disso, os próximos livros do Sherlock que eu ler vão ser vistos com outros olhos. Isso é bom, eu acho. 8D

    taiyounorakuen.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho a maior vontade de ler esse, é um dos mais famosos. Eu to querendo comprar umas coletâneas com os contos.
      Eu também não fazia ideia de como eles tinham se conhecido, por isso eu achei mais interessante o livro.

      Bjs

      Excluir
  4. Amei seu blog , estou seguindo !

    Já participou do SORTEIO ?
    Corre lá participa !

    http://whatifeel-m.blogspot.com.br/2012/05/sorteio-boca-bonita-kiko-milano.html

    ResponderExcluir
  5. Alguém me intende quando digo que a gosto da personalidade do Sherlock!o/ kkkkkkkk Eu ainda não li este livro, mas, pretendo lê-lo em breve. Cheguei a ler As aventuras de Sherlock Holmes, que são 12 contos sobre ele e este livro que eu li faz algumas referências a essa obra. Fiquei curiosa pra saber o início da parceria entre Sherlock e Watson, e de verdade, amei a resenha =D Outro motivo para se ler este livro: Em nenhum outro livro policial você encontrará deduções tão fantásticas ou um detetive tão brilhante *-* Parabéns pela resenha amr, de vdd *-*
    Ps: adorei isso de um clássico por mês e estou pensando seriamente em fazer algo assim no blog... você se importaria? Prometo que dou os devidos créditos =D

    Beijos
    entrelivrosepersonagens.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade parece que as pessoas não gostam muito desse jeito do Sherlock, que para mim é todo charme do personagem. Eu quero ler mais contos e os outros romances, vale muito a pena.
      Pode usar a ideia sim querida, vai ser um prazer.

      Beijos

      Excluir
  6. Haaa nunca li os livros sobre sherlock, mais sou louca para ler, ainda mais agora depois de ler este resenha maravilhosa e conhecer uim pouco mais sobre esse mundo, fiquei maravilhada...

    Beijosss
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mila, que bom que gostou da resenha, eu tb tinha muita vontade de ler os livros mais sempre ficava enrolando, até que decidi ler de uma vez, já que tinha escolhido como um dos clássicos do projeto. Valeu muito a pena.

      Beijos

      Excluir
  7. Acho super legal o modo como você incentiva a literatura de clássicos, isso é muito importante por que muitas pessoas só lêem as novidades e os livros que as editoras que elas querem como parceiras publica. Enfim... admiro muito isso no seu blog.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ágata, que bom que você gosta, é muito importante para mim receber esse retorno, eu amo essa coluna por que além de ser um bom incentivo para mim ler os clássicos - eu sou muito preguiçosa - eu possa trazer essas informações para vocês.

      Beijokas

      Excluir
  8. ju adorei saber desse livro, com certeza vou ler já que ele é tipo uma introdução ao mestre da investigação. valeu pela dica. Adoro essa coluna. Bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline que bom que gostou, eu adorei o livro, e é uma boa introdução.

      Bjs

      Excluir
  9. Olá Juliana, como psicologa preciso dizer: vc se sentir atraída por personagens egoístas diz muito sobre sua própria personalidade...
    hahahahahahahahahaha que mentira, eu de psicologa não tenho nada kkkkk
    Tb adoro o jeito do Sherlock, gosto de personagens que não ligam pra ninguém, será que isso diz algo sobre a minha personalidade? Espero que não kkkkkkk
    Eu li na escola, to afim de pegar ele pra ler de novo, quase não lembro de nada...
    Bjoss e bom final de semana =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fê, deve dizer mesmo, não é?
      Eu adoro eu jeito blasé dele, isso fica muito bem com o personagem.
      Várias pessoas me disseram que leram esse livro na escola, isso me faz me perguntar por que na minha escola não tinha nada disso,#triste.

      Beijokas

      Excluir
  10. Acredita que eu nunca li nenhum livro do Conan Doyle?! Já que esse é o primeiro, vou ver se consigo ler! Mas, antes tenho que esperar alguma promoção, porque já gastei bastante com livros esses mês! : B

    http://chicklitobsession.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah essas compras que comprometem nosso orçamento.
      A sorte que esse livro é baratinho, no próximo mês da para encaixar.

      Bjs

      Excluir
  11. Oie...
    Tudo bom?
    Eu simplesmente AMOOOOO Sherlock... Cada aventura deles é uma emoção para mim... Muito legal o projeto de clássicos... ^^

    Adorei seu blog... Já estou seguindo...
    Depois dá uma passadinha no meu para conhecer... Relíquias da Lylu =D
    http://reliquiasdalylu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida obrigado.
      As histórias do Sherlock são realmente incríveis.

      Beijos

      Excluir
  12. Adoro os livros da Martin Claret. São livros baratos e muito bons!^^ Adorei a postagem sobre esse.
    Beijocas!
    http://palomaviricio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oii Ju, to aqui, seu blog é demaiiis, amei!
    Estou te seguindo aqui também, assim como no skoob.
    Obrigada, pela visita.
    Beijoos!!!

    http://estantevirtual-silva.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.