Um clássico por mês IS BACK: A Revolução dos Bichos - George Orwell / Cia das Letras + Recado



Eu já falei em outras resenhas da coluna que, muitas vezes temos a visão errônea de que um clássico tem uma leitura mais arrastada, o que com certeza afasta as pessoas, mas não se engane, há motivos de sobra para esses livros terem resistido ao tempo e até hoje ter o que nos contar.

Os bichos da Granja do Sonar sofriam horrores na mão do dono, o Sr. Jones, ele era um beberrão que muitas vezes se esquecia de alimentar os animais, mais mesmo assim exigia ao máximo deles, levando-os a exaustão.

Os animais não aguentavam mais as crueldades do dono, e sonhavam em ser livre e poderem administrarem sozinhos a granja – o livro é uma fábula – esse sonho ganhou mais força, quando o porco Major, um ancião, lhes contou um sonho que havia tido, onde eles seriam livres e teriam a granja só para eles, ainda os ensinou uma canção de sua infância, os Bichos da Inglaterra, que passou a ser um hino, e o ideal de sociedade que eles queriam ter.

Os porcos eram os animais mais inteligentes da fazenda, por isso após a morte do Major, eles se organizaram para de fato, destituir Jones do poder, os porcos que mais se destacaram foram Bola-de-Neve e Napoleão, e com os planos deles, os animais conseguiram expulsar o Sr. Jones e assim tomaram a granja para si, a nomeando Granja dos Bichos.

Agora completamente livres da dominação humana os bichos começaram a administrar por conta própria à granja, os porcos por serem mais inteligente e os lideres da Revolução, também ser tornaram os líderes da Granja. Para banir qualquer influência humana, os animais aprovaram uma resolução: Os setes mandamentos: 1- Qualquer coisa que ande sobre duas patas é inimigo, 2- Sobre 4 patas ou tenha asas é amigo, 3- Nenhum animal usara roupas, 4- Nem dormira em camas, 5- Nem consumira álcool, 6- Nem matara outro animal, 7-Todos os animais são iguais.

Para os animais menos letrados, eles resumiram todos os mandamentos na frase “Duas pernas ruim duas pernas bom”

Conforme os porcos vão se consolidando na liderança da Granja dos Bichos, uma richa surge entre Napoleão e Bola de Neve, o primeiro com sede de poder, acaba expulsando o outro e assume sozinho a liderança da Granja, que muda radicalmente.

O ideal de liberdade parece se esvair, e cresce uma repressão velada, mas para os outros bichos, que tinham de trabalhar muito e ganhar pouco, porém para eles isso ainda era melhor do que o controle humano.

Todos os princípios dos setes mandamentos são desrespeitados pelos porcos e cachorros, eles bebem, tomaram a casa do Sr. Jones para si, promovem carnificina contra àqueles animais que consideram traidores, e imperceptivelmente alteram as leis que deveriam cumprir.

Achei muito interessante como o autor usou na fábula o poder da propaganda da Rússia Stalinista. Representada pela figura de Garganta, que sempre que algo de errado acontece  aparece prontamente para dizer que é tudo culpa de Bola-de-Neve, e sempre deturpa a participação deste na revolução, no fim das contas ele é apresentado como um  traidor do movimento desde o começo.

Toda vez que as novas regras de Napoleão parecem ir contra aquelas estabelecidas no dia da Revolução, é Garganta que aparece para apaziguar os ânimos, e lembrar aos animais que tudo sempre foi assim, e se por acaso algum deles o contradissesse, as ovelhas, prontamente começam a alardear “Quatro pernas bom, duas pernas ruim”, até que nenhuma discussão mais pudesse acontecer.

No fim das contas à situação para os animais se torna igual ou pior do que da época do senhor Jones, e para eles não é possível mais distinguir quem eram os porcos e quem eram os humanos, por que eles tinham se tornado iguais.

E o setes mandamentos são substituídos por uma só frase: “Todos os animais são iguais, mais alguns são mais iguais que os outros.”


Sobre o autor:
Eric Arthur Blair, nasceu em 25/06/1903 em Bengala (Índia), é considerado o maior cronista da literatura inglesa do séc. XX. Foi para a Espanha em 1936, para apoiar o recém eleito governo popular, dessa sua experiência lançou o livro Guerra Civil Espanhola. Ele também foi correspondente da BBC na Segunda Guerra Mundial. Morreu em 1950 de tuberculose.

Por que você deve ler:
Esse livro é essencial para a vida.
Quantas vezes na história, a humanidade testemunhou governantes que se transformaram em verdadeiros ditadores, com promessas de livrarem o povo da opressão.
O poder corrompe ou o ser humano é propenso à corrupção?  Essa pergunta não me sai da cabeça desde que eu consigo pensar por mim mesma, por que quantas vezes vemos políticos que prometem mover montanhas, mas quando assumem o poder, quase nada fazem, e a maior parte das notícias que temos em relação a eles, são sobre escândalos financeiros e sexuais, recebimento de propina, dinheiro na cueca, caixa dois, e de vez em quando (quase uma vez por ano) aumentam o salário... deles próprios. E as únicas medidas para beneficio daqueles que os elegeram, são medidas paliativas, que coincidência ou não alerta sarcasmo sempre acontece na época de eleição, ou outras que vicia o povo para elegê-los eternamente.

Curiosidades:
A Revolução dos Bichos é um livro de 1945, é uma crítica ao sistema stalinista, que para o autor traiu a Revolução Russa de 1917 e os princípios do socialismo, quando foi lançado o livro gerou mal estar, por que Inglaterra e Rússia eram aliadas – por esse motivo o livro quase não foi lançado – mais com a guerra fria, o livro passou a ser um instrumento político contra o regime comunista, o que desagradou profundamente o autor, pois ele mesmo era  socialista e seu livro não deveria ser usado para tal.
Curiosamente esse livro ainda é proibido em certos países, tais como - adivinhem só - China e Coréia do Norte.

Nota: 

Recado:
Hoje completa um ano que eu comecei o blog, bem timidamente, sem muito divulgação ou alarde, minha intenção nunca foi ter um blog famoso - não que isso seja ruim - mais foi ter um espaço que eu poderia escrever sobre as coisas que eu gosto. Quando o criei eu não tinha pretensão de dar mais foco aos livros, mais foi involuntário, acabou ficando assim, e eu acho que ficou legal.
Eu queria agradecer a todos vocês que comentam e estão sempre visitando o blog, muito obrigado. Espero daqui para frente crescer mais, trazer mais novidades e ter mais aniversários de 2, 3, 4, ... 

10 comentários:

  1. Esse é um dos livros que pretendo ler direito algum dia.

    OMG, PARABÉNS *O*

    ResponderExcluir
  2. Olá Juliana desculpe por eu ter sumido, mas é que eu fiquei quase 1 mês sem internet em casa e não pude postar nada novo no meu blog e nem vir comentar nos blogs que eu sigo, como o seu, mas agora tudo já voltou ao normal.
    Essa é uma das distopias que eu mais quero ler no momento, eu não tenho nenhum problema com clássicos, gosto muito deles, e já me recomendam muito esse livro e dizem que é melhor do que muita distopia atual.
    Parabéns pelo aniversário do blog.
    Abraços.

    http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Minha linda parabéns pelo niver do seu blog, adoro vim aqui vc sabe e quero manter nosso contato para sempre. Sobre ele ser famoso ou não isso é uma escolha e batalha só sua e ninguém vai te avaliar por isso, seu blog é lindo, bem escrito e organizado.
    Amei a resenha, bem interessante esse clássico!!!!

    ResponderExcluir
  4. Oii flor :) tudo bom?
    Eu já tinha bastante curiosidade pra ler esse livro, mas não sabia exatamente do que se tratava, e agora, lendo sua resenha, fiquei com ainda mais vontade *-*' Uma fábula com críticas a sociedade, escrita de uma forma mais séria... Nossa, deve ser incrível mesmo! :) ótima resenha, de verdade!
    Parabéns!

    Beijos, Nanda
    Julgue pela Capa

    ResponderExcluir
  5. EU li esse livro na faculdade por obrigação, então tenho uma imagem ruim dele, ler algo por obrigação é horrível. Mas eu concordo com você, o autor soube mesmo como fazer de uma fabula uma das maiores criticas a revolução.

    Hey parabéns ao blog o/
    Seguindo *-*
    Beijos,
    pepperlipstick.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Caraca, uma fábula? Eu tinha um preconceito do caramba com esse livro, sem nem ao menos saber do que se tratava, eu meio que torcia o nariz, mas agora estou apaixonada pela ideia de lê-lo, principalmente por ele ser tão diferente de qualquer livro que eu já tenha lido.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  7. Primeiro: parabéns pelo aniversário do blog! Que venham muitos e muitos anos.
    George Orwell é um autor que eu ainda tenho que ler. Títulos como 1984 e A Revolução dos Bichos estão para serem lidos há tempos.
    Adorei essa de ele conseguir contar sobre o poder russo dentro uma fábula. Curti mesmo.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  8. Parabéeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeens!

    Então, eu sempre ouvi falar muito desse livro, mas nunca li. Do Orwell eu li mesmo foi "1984" que é com certeza uma das histórias mais aterrorizantes da vida (não por ser terror, mas porque poderia muito bem acontecer).

    E ler os clássicos é sempre bom! :)

    ResponderExcluir
  9. Bah, não sei se me interessei por esse livro em si, achei interessante o enredo e gostei da resenha explicando algumas coisas, mas não sei :/ Quero mais ler 1984 mesmo desse autor, aliás, nunca li nada dele ainda '-'
    AHHHHHHHH parabéns pelo 1 ano de blog, que venham mesmo mais e mais anos para comemorar *_*

    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  10. Esse livro é um tapa na cara e uma forma mais simples e sincera de enxergar as coisas...É tão atual quanto naquela época e mesmo que não estejamos passando por regimes autoritários, já que as questões acabam mudando, sempre sofremos algum tipo de influência, pois, nem tudo que se apresenta como solução de fato é. Nos iludimos com as palavras bonitas e que parecem sinceras, mas, inevitavelmente, ter o poder em mãos acaba modificando ideias de tal forma que distorce tudo o que foi pregado. Beijos ;*

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.