Resenha: A Caminho do Verão - Sarah Dessen / iD



Título original: Along for the ride
Ano de lançamento: 2009
Páginas: 416

Esse é o segundo livro da Sarah Dessen que eu leio, e já posso dizer que, com certeza já é uma das minhas autoras favoritas.

Se existe uma coisa que eu detesto quando estou lendo uma história, são descrições exageradas de lugares e personagens, sabe aquele tipo de texto que leva um, dois, três parágrafos para descrever a cor do olho de alguém, sério, não tem como me empolgar para ler uma história assim.

É por isso que eu gosto tanto da Sarah, para ela o mais importante na história são os sentimentos, as agruras pelas quais os personagens estão passando, e principalmente os problemas familiares.

E problemas familiares é o que não falta na vida de Auden, a primeira vista ela tem uma vida perfeita, e assim como a Anabelle de Just Listen – que foi o outro livro que eu li - o que aparenta ser uma vida perfeita, está recheada de problemas familiares, de fora tudo parece bem, mas dentro, está tudo uma bagunça.

Com a Auden, a autora mostra um comportamento que vêm se intensificando cada vez mais hoje em dia, as crianças não tem mais tempo para ser crianças, desde cedo já é exigido delas um comportamento adulto, e onde fica o tempo para brincar, para se divertir com os amigos, para sei lá, andar de bicicleta, ir a festinhas, comer brigadeiro na panela, ver sessão da tarde, etc. Pare e pense quantos pais vocês conhecem que enfiam seus filhos, ainda pequenos, em um milhão de cursos diferentes, a criança fica sem tempo para mais nada, eu sei que é certo estar preparado para o futuro, mais não se pode pular etapas na vida, o saudável é vivê-las plenamente.

Para seus pais, Auden nunca foi criança nem adolescente, desde cedo eles a tratam como uma adulta, por isso ela nunca foi nada além daquilo que eles esperam. E isso a fez perder todos os momentos mágicos da vida, as aventuras infantis, os amigos verdadeiros, as paqueras, os bailes, ela nunca teve tempo para isso. E agora que está indo para a faculdade que não terá mais tempo mesmo.

Já o seu irmão mais velho é o oposto, e desde a separação dos pais, ele embarcou numa exótica viagem pela Europa. E por causa de um presente que recebe dele, Auden repensa sua vida, e como ela nunca teve tempo para se divertir, é por isso que ela decide aceitar o convite do seu pai para passar o verão antes da faculdade em sua nova casa, com sua nova esposa e a sua filha recém-nascida.

Vai ser um desafio para ela conviver com a nova esposa do pai, ela é tudo que Auden e sua mãe abominam, fala demais, usa rosa demais e é alegre demais, mas nesse verão ela vai aprender que as pessoas não são  exatamente aquilo aparentam, inclusive seus pais. Por isso no começo ela acha tudo estranho, seu pai é extremamente egoísta, não ajuda com o bebê e não aceita ser contrariado. Ela não lembrava que seu pai era assim, e não esperava se dar tão bem com sua madrasta, que aos poucos, mesmo que ela não perceba, vai ser tornando uma grande amiga.

Apesar de gostar da personagem, em algumas passagens percebemos que ela é um tanto esnobe, ela não é nojenta, mais em diversas vezes ela se surpreende com pessoas que ela garante ser de um jeito, só por que se vestem de tal forma, ou fazem tal coisa, e na verdade elas são justamente o contrário.

Ela tem muito o que aprender nesse verão, e é com uma pessoa que ela conhece por acaso que ela vai descobrir as delicias de ser jovem e se apaixonar. Eli é um garoto misterioso, sempre quieto, reservado, carrega uma grande culpa consigo, um acidente que vitimou alguém muito próximo, isso o afastou dos outros, mas Auden consegue ultrapassar essa barreira, aos poucos vão ficando cada vez mais próximos, Auden conta sobre sua vida, e sobre como nunca teve tempo para nada, por isso ele propõe uma busca, ajudará ela a viver aquilo que não pode. Tem como ser mais fofo, acho que não.

Além do primeiro amor, ela também vai encontrar grandes amigas, em um lugar onde não esperava. Sua madrasta tem um pequeno comércio, onde vende roupas e afins, e Auden se oferece para fazer sua contabilidade, assim ela tem que conviver com as meninas que trabalham na loja, elas tinham tudo para serem garotas esnobes e metidas que não vão com a cara dela, mas na verdade, elas se revelam amigas de verdade.

Além de encontrar o primeiro amor, amigas verdadeiras, viver momentos que perdeu, e aprender coisas que ela achava que já sabia, também vai chegar o momento em que terá que enfrentar os pais, e ela vai precisar ser forte para mostrar que ela pode tomar as próprias decisões na vida, que pode ter momentos de diversão e ser responsável, ser uma pessoa que não precisa ser perfeita. 

Para quem gosta de histórias que falam sobre sentimentos, que foge da temática sobrenatural, e que te faz devorar o livro, vai amar a história de Auden. 

Nota:

Vlogs

Um belo dia eu estava sem nada para fazer e lembrei que tinha ouvido falar muito bem de um vlog, decidi assistir para ver se era bom. Sabe o que aconteceu? Eu simplesmente fiquei viciada, e já vi praticamente todos os vídeos, não tem como não gostar de um conteúdo com qualidade, que te inspira a sair da sua "zona de conforto literária" e ir procurar outras igualmente boas.


Tiny Little Things


Então, esse é o vlog  que me introduziu nesse mundo que eu não fazia ideia de que era tão diverso e cheio de qualidade.

O diferencial do vlog é a eloquência e inteligência da Tatiana, ela fala muito bem, e não tem como não levar a sério e ter vontade de ler os livros que ela indica. O que eu mais gosto, é que apesar de eu ter um gosto mais voltado para o YA e a Tatiana indicar em sua maioria livros fora desse universo, para mim é uma chance de conhecer livros novos, e se deliciar com histórias que eu nem fazia ideia de que existiam, ou de que eram boas. Por exemplo, eu já tinha ouvido falar sobre O Apanhador no Campo de Centeio - e quem não? - mas, nunca senti muita vontade de ler, era mais uma curiosidade, bem pequena, porém, depois de ver a resenha dela sobre livro, eu quis comprar na hora e começar a ler imediatamente, infelizmente esse projeto vai ser adiado, já que o livro é muito caro.

Um dos melhores vídeos, que eu já indiquei aqui  para vocês, é a resenha da triologia 50 shades of grey, sério, é muito bom, e vocês precisam ver, ela é honesta no vídeo e já antecipo de que ela não é muito gentil com a obra, para quem procura saber mais sobre o livro e quer uma opinião sincera sobre a obra, fica a indicação.

Uma coisa que eu invejo na Tatiana, é disciplina para cumprir as metas de leitura, todo incio de mês ela estipula os livros que pretende ler no decorrer desse mês, e ela cumpre, quero ser assim, e depois faz um balanço dessas leituras. Isso é incrível e admirável, um ótimo exemplo.

Eu conheci o vlog pela indicação de uma blogueira muito querida, a Giu Fernandes, do Amount of Words. E foi meio maluco o período, por que eu vi um vídeo atrás do outro, foi um intensivo. E não é só de livros que ela fala, para quem gosta, ela também faz vídeos sobre maquiagem, sobre música, séries, e um dos que eu mais gosto, que é quando ela fala de livros e suas adaptações cinematográficas.

Canal | Blog | Fan page.


Vevsvaladares


Esse é outro vlog que toda vez que sai um vídeo novo minha lista de leitura aumenta. O conteúdo dele também é um pouco diferente dos livros que eu costumo ler, mas que saber, isso não importa, por que quando a pessoa fala com paixão dos livros que gosta, você acaba contagiado, e sai que nem um doido atrás de uma edição de Os Miseráveis - mais de mil páginas - para ler, true story.

O primeiro vídeo que eu vi da Verônica  foi a resenha de As Crônicas Vampirescas, eu já tinha uma queda pelos livros da Anne Rice, mais depois do vídeo, essa necessidade ficou mais urgente, uma pena é que eu sou uma pessoa pobre, e os livros foram publicados pela Rocco. Mais é uma meta, e até o final do ano ou mundo eu pretendo ler pelo menos o primeiro livro, Entrevista com o vampiro.

Outra resenha que me deixou maluca foi a do livro Os Irmãos Karamazov, de Dostoiévski  e me perguntei por que eu ainda não li esse livro, aí lembrei que sou pobre, e a edição linda que eu quero custa quase cem reais, a leitura desse livro eu já estipulei como meta para o ano que vem se estivermos ainda aqui, só acho que não vai dar para comprar a edição bonitona e vou ter que me contentar com a pocket.

Eu gosto muito da forma como ela expõe as ideias sobre os livros que leu, e como ela fala bem, acho que isso é fundamental, por que não dá para fazer um vídeo de qualidade se você não consegue se expressar direito, e isso é um dos principais fatores que me levam a continuar a assistir ou não um vlog. E além de todas essas qualidades, ela é super simpática.

Canal | Blog | Twitter