Resenha: As Irmãs Grimm #3 - Michael Buckley / Novo Século


Mais uma vez eu estava passeando inocentemente pelo shopping, quando tive vontade de passar na livraria, mas era só para dar uma olhadinha mesmo, eu não ia comprar nada, eu teria força de vontade, mas, não foi exatamente o que aconteceu, eu até me segurei, mas quando vi o volume #3 e #4 da série As Irmãs Grimm eu não me aguentei, tive que comprar, tenho certeza de que vocês entendem.

Eu tenho uma queda por contos de fadas, adoro as fábulas, as lições de moral, e fico impressionada como essas histórias sobreviveram através do tempo, claro que, com suas modificações, mas ainda sim, chegaram até nós. E ultimamente essas histórias ganharam uma nova roupagem, voltaram as suas origens mais obscuras, fugindo dos esteriótipos que a Disney nos mostrou nas últimas décadas. O lobo não é tão mal assim, princesas são mais malvadas que bruxas, o príncipe não é tão encantado, e nem sempre o final é feliz.

Os contos de fadas fazem parte da vida de qualquer criança, e comigo não foi diferente, mas sei lá, com o passar do tempo comecei a ter problemas com alguns aspectos que acabam se repetindo nas histórias, o principal sempre foi o "...e foram felizes para sempre", fala sério, quem é feliz sempre, propaganda enganosa, e ainda tem o fato de as princesas sempre precisarem serem salvas, cadê o girl power? Por isso  essa abordagem nova me agrada tanto, e o meu preferido é a HQ Fábulas, que é muito boa, recomendo!

Outra série que eu adoro é As Irmãs Grimm, que conta a história das irmãs Sabrina e Daphne, que depois do desaparecimento dos pais, passam por uma série de lares adotivos, até descobrirem que tem uma avó, sobre a qual elas nunca tinham ouvido falar, a velhinha logo passa a contar um monte de histórias inacreditáveis, sobre contos de fadas, e mais, que a maioria, as mais famosas por assim dizer, vivem ali naquela cidade onde ela mora, são chamados Sobreviventes, e estão presos à cidade por um feitiço, feito há duzentos anos a mando de Wlhilem Grimm, que com medo da cobiça que se estabeleceu entre os Sobreviventes, precisou tomar providencias para estes, não entrar em guerra com os humanos. A barreira só seria desfeita quando o último Grimm sucumbisse, e por isso eles são como guardiões.

Nos dois primeiros volumes descobrimos que os pais das meninas, na verdade, foram sequestrados por uma organização, intitulada A mão escarlate, e que muitos sobreviventes, principalmente os mais malvados, integram o grupo, que esta empenhado em desfazer a barreira, e se ver livre da maldição, não importa quem eles têm que usar para isso.

O terceiro livro começa justamente onde o outro terminou, Sabrina enfim consegue achar seus pais mas infelizmente pode fazer muito pouco para salvá-los e por isso tem que fugir da incrível criatura que encontra em seu caminho, sinceramente, mesmo que em Fábulas, Cachinhos Dourados seja vilã, eu não esperava o que estava por vir, acho genial essa inversão de papel, a vilã é nada menos que Chapeuzinho Vermelho, que tem sérios problemas mentais, eu juro. Infelizmente, ela não esta sozinha nisso, ela tem em seu poder um Jaguadarte, uma criatura gigantesca, com enormes dentes, e uma péssima fama, que ela chama carinhosamente de "gatinho" e leva-o para passear em uma coleira. 

Nesse terceiro volume, novos personagens surgem, e temos algumas reviravoltas, principalmente na administração da cidade, mais um Grimm entra na história, Jacob é na verdade filho da vovó Relda, que parece não ter um bom relacionamento com ele, devido a alguma coisa relacionado ao seu passado inconsequente. As meninas também não o conheciam, nem ao menos sabiam dele, mas de alguma forma confiam logo de cara, mas eu, algumas vezes questionei a honestidade do tio Jake, sempre parecia que ele queria mais do que demonstrava. Mas ele é fundamental para a missão de resgaste e mesmo que as vezes possa parecer que ele só esta interessado em obter objetos mágicos que lhe dão poder, o que na verdade ele sempre quis, era concertar o grande erro que cometeu no passado, e causou tanto dor em sua família.

E depois de mais um excelente final, fico ainda mais ansiosa para saber o que vai acontecer na história, principalmente quem esta por trás A Mão Escarlate

Gosto muito dessa série, mas tem algumas coisas que me deixam em dúvida, por exemplo, quando Wlhilem, procurou a bruxa Baba Yaga para lançar o feitiço sobre a cidade, o preço cobrado pela magia, foi que, assim como os Sobreviventes, os Grimm também estavam condenados a maldição, então como o pai das meninas conseguiu ir embora da cidade? Eu não sei se ainda vai ser explicado, ou se é problema da tradução, mas algumas partes, ficam confusas de entender.


5 comentários:

  1. Ju estou adorando seguir suas resenhas dessa serie por aqui. Gosto de contos de fadas tbem essas versões são bem interessantes.
    Parabéns pela resenha. Bjos e te adoro!!!!

    ResponderExcluir
  2. Aii, eu sou apaixonada por fábulas e livros de fantasia no geral! O único blog que conheço que faz ótimas resenhas sobre esse tipo de livro é o seu! Acompanho seu blog há uns meses e adoro essas resenhas! (:

    Estou seguindo seu blog!

    Beijos
    http://cute-indeed.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nunca ouvi falar do livro, não sei se é meu gênero de leitura.
    Quem sabe eu daria uma chance?
    beijos
    http://souseuastral.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju, eu também adoro contos de fadas, e eu não sabia que tinha As irmãs grimm, recentemente eu começei a ver a série os irmãos grimm e to gostando muito..
    Parabéns pela resenha ^^


    Beijos Mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Sobre a questão mal explicada: acho que um Grimm pode sair da cidade contanto que tenha pelo menos um Grimm dentro da cidade. Ou seja: o pai das meninas pode sair da cidade pois a vovó Relda ficou na cidade. Foi isso que eu entendi :D

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.