Top Ten Tuesday: Dez (melhores) livros que li até agora em 2013

O top ten de hoje é uma retrospectiva dos melhores livros que eu li até agora esse ano. Infelizmente, não são tantos quanto eu gostaria, já que a meta que eu estipulei para mim mesma é alta (100), mas ainda dá tempo, eu se eu não conseguir cumprir ela, espero pelo menos chegar perto.

O Top Ten é uma iniciativa do blog The Broke and the Bookish.


10 - Scott Pilgrim e o mundo de amanhã (Resenha)
Eu já tinha planos de ler Scott Pilgrim desde quando eu vi o filme, mas por conta do preço alto, só consegui comprar em um dessas promos malucas do submarino. A leitura da HQ foi divertidíssima, Scott é um personagem peculiar, é meio difícil entender qual é o charme que ele possui que deixa as garotas apaixonadas, ainda estou tentando compreeender isso, a relação com os amigos também é engraçada, apesar dos desentendimentos, eles tem uma amizade verdadeira. Ainda falta ler a última parte, estou ansiosíssima. 

9 - O ladrão de raios
Quando eu finalmente decidi ler Percy Jackson, e comentava no twitter durante a leitura "Nossa, como isso é bom", "Não acredito que demorei tanto para ler", "É tão diferente do filme", várias pessoas vieram falar comigo, "Não acredito que você ainda não leu", e eu posso dizer que só não tinha feito antes, por que eu achei o filme bem fraquinho, e nessa minha cabeça preconceituosa, o livro tinha que ser ruim também, COMO eu me enganei, estou completamente apaixonada por essa história, e assim que der eu termino ela, e começo a ler outras coisas do autor.

8 - A mediadora 6 (Resenha)
Passaram-se dois anos para que eu tivesse coragem de pegar esse livro, o medo de terminar uma das minhas séries favoritas foi tamanho, que durante esse tempo eu não conseguia me acostumar com a ideia de um mundo onde não tivesse mais nada sobre a Su e o Jesse para mim ler. Não tenho palavras para descrever a perfeição que é esse livro, e é por isso que a Meg Cabot é minha autora preferida, ela é simplesmente fantástica, o final que ela criou para história é perfeito, e não é um simples final feliz mirabolante, tudo faz sentido no contexto da história. Ainda fiquei mais feliz em descobrir que autora está escrevendo um sétimo volume, que promete ser maravilhoso, o final da série é fechadinho, mas abre espaço para bastante aventura.

7 - Nevermore (Resenha)
Já falei sobre esse livro diversas vezes, o que mais gostei nessa história foi o clima sombrio que a autora criou, os personagens também são bem interessantes, eu fiquei completamente apaixonada pelo Varren, ele é um personagem tão sofrido, que dá vontade de pegar para cuidar. A Isobel também foi uma personagem que me surpreendeu, no começo você tem uma visão dela, e no final ela muda completamente. Meu único porém com a história é o fato de que a autora levou muito tempo para desenvolver o romance, isso não atrapalha a história, mas, seria melhor se acontecesse um pouco antes, ainda mais depois do fim trágico de partir o coração.

6 - O apanhador no campo de centeio (Resenha)
Sabe aqueles livros dos quais você espera muito, então, eu tinha esse conceito com O apanhador no campo de centeio, antes de inciar a minha leitura, eu tinha certeza absoluta de que o livro seria perfeito, e isso é muito perigoso, por que decepções literárias estão aí para todo mundo. Ainda bem que não foi isso que aconteceu, o livro é tão bom, que eu não vejo a hora de reler, já que ele é daquele tipo que tem sempre algo mais para te ensinar a cada releitura.

5 - The ghost and the goth
Eu ri demais com esse livro, ele é um YA tão gostoso de ler, a história me lembrou um pouquinho A Mediadora (o que faz qualquer história ganhar muitos pontos a favor), os personagens são tão legais, Alona entrou para minha lista de personagens favoritos, ela tem umas tiradas sensacionais, e faz piada com sua própria condição de fantasma. A resenha do livro deve sair ainda essa semana, lá eu escrevo mais sobre o livro.

4 - O teorema Katherine (Resenha)
Eu estava esperando ansiosamente esse livro, e não me decepcionei nem um pouco, foi uma leitura bem agradável, que me arrancou muitas risadas. John Green é um dos meus autores favoritos, e eu estou tão feliz que os livros deles estão sendo publicados aqui no Brasil. 

3 - Legend (Resenha)
Esse livro me ganhou totalmente, a história é incrível, o engraçado, e isso acontece muito comigo, é que eu não dava nada pela história, eu comecei o livro esperando mais uma história típica, cheia de clichês chatos, mas não, a história me pegou desde o começo, e quando eu terminei eu precisava da continuação imediatamente, não vejo a hora de ler.

2 - Promessa de sangue 
O que é esse livro minha gente, simplesmente sensacional. O final do terceiro livro é de destruir o coração de qualquer um, como eu fiquei abalada com aquele final, como um autor pode fazer tamanha maldade. Eu comecei esse livro desesperada por saber o que ia acontecer, e o encontro daqueles dois, é explosivo, doloroso, tudo ao mesmo tempo. Academia de Vampiro é uma das minhas séries favoritas, e se vocês não leram, estão intimados a fazer isso.

1 - Alma? (Resenha)
Acho que de todos os lançamentos esse ano, Alma? era o que eu mais estava aguardando, e como é bom a gente esperar por alguma coisa, e todas as nossas expectativas são atendidas, e mais, serem superadas. Eu adorei tudo na história, o romance, o steampunk, os vampiros e lobisomens, e com certeza o casal entrou para minha lista de casais favoritos, simplesmente adorável. 

Top 5: YA












Já faz tempo que eu não faço um top 5, e por que não voltar em grande estilo, e falar dos YA que eu mais quero no momento, ainda bem que é só cinco, por que essa lista é gigante, e aumenta a cada dia que passa.


O verão que mudou minha vida - Sinopse
Sabe aquele livro que você fica namorando o mês todo, mas quando você esta com dinheiro, ou ele "misteriosamente" esgota, ou alguma outra aquisição se torna mais importante, é o meu caso com esse livro. Toda vez que eu vejo uma resenha dele eu lembro o quanto quero ler, acho que essas histórias sobre adolescentes amadurecendo, se apaixonando (mesmo que seja em uma triângulo amoroso), e descobrindo a vida como ela é, sempre vão chamar a minha atenção, mesmo quando eu for mais velha. 

Will Grayson, Will Grayson - Sinopse
Só por ser um livro do John Green, não precisaria de outros motivos, mas exatamente por ser um livro do John, tem muitos. O livro foi escrito em parceria com David Levithan que é autor de Nick e Norah, ainda não li nada dele, mas isso está para se resolvido em breve. O que mais me chamou a atenção nesse livro foi o fato de falar sobre um relacionamento entre dois garotos, eu não sei como é isso lá fora, mas aqui no Brasil, eu não conheço muitas histórias assim, e por isso estou super curiosa para saber como eles abordaram o assunto. 

Eleanor and Park - Sinopse | John Green Aprova - leia a resenha dele aqui
Sabe aquele livro que você tem certeza que vai amar, e mais certeza ainda que será impossível catar os caquinhos do seu coração quando terminar a leitura, é isso que eu sinto em relação a esse livro. TODAS as resenhas que li sobre ele, falam de um final doloroso, que é uma coisa que me deixa maluca, mas eu amo.  A história se passa no fim dos anos 80, e tem muitas referências musicais, e eu simplesmente amo isso, e a autora aborda assuntos sérios, como bullying, e a magia do primeiro amor. Eu quero demais esse livro, mas preciso me preparar emocionalmente, por que essas coisas acabam comigo.
“Eleanor & Park” reminded me not just what it’s like to be young and in love with girl, but also what it’s like to be young and in love with a book." - John Green

The Queen of  the Dead - Sinopse 
Eu estou apaixonada por essa série, como uma fã inveterada de romances sobrenaturais, para mim não é nem um pouquinho estranho que o casal principal seja formado por um garoto e uma fantasma, isso é normal nesse tipo de história, e além do mais, eu já vi isso antes, e amei. Alona é uma personagem hilária, ela tira o sossêgo de Will quando descobre que ele é o único que pode vê-la, isso por que ela sofreu um acidente e morreu, e o seu espírito fica vagando pela escola, até que ela percebe que ele pode a ver, ele é o que podemos chamar de medium, assim ela vai atrás dele até que tenha sua atenção. No primeiro livro ocorreu uma série de eventos que aproximaram os dois, romanticamente, porém não muito, eles ainda não são namorados. Estou super curiosa para saber o que a autora vai fazer com a história, já que a Meg deu uma solução tão perfeita em A Mediadora, espero que a Stacey faça algo nesse sentido.

Dez que nós fizemos (e provavelmente não deveríamos) - Sinopse
Esse título é um dos mais legais que eu já vi, e sabe o que a sinopse me lembra, não tem aqueles filmes adolescente dos anos 80, que vivia passando, não lembro se tinha algo assim, mas me passa essa sensação. Como a sinopse diz, que adolescente, nem que seja pelo menos uma vez, imaginou como seria viver sem a supervisão dos pais, e fazer o que lhe desse vontade. E sabendo a quantidade de coisas erradas que podem acontecer se um sonho desse se tornasse realidade, imagino que a história seja hilária.


E vocês, quais livros mais desejam no momento?

Promoção: Mês dos Namorados

Que tal uma promoção para comemorar o dia dos namorados?

Para comemorar o dia dos namorados, que tal ganhar um dos 8 que o Sobre mim e meu mundo sorteará, junto com mais 7 blogs amigos? As regras são simples, e tem muitas entradas para vocês tentarem a sorte. 

Os blogs participantes são: 
Sobre mim e meu mundo - Bela Maldade
Nerdices de uma garota -  Cores de Outono
Perdido nas linhas - A Probabilidade Estatística do amor à primeira vista
Garota do livro - Esperando por você
I Love my books - Os Mistérios de Warthia
Sete Coisas - Tesão 
Clicando Livros - Comer, rezar, amar
Drafts da Nica - Livro surpresa

Fique atento: Termos e Condições
- Ter endereço de entrega no Brasil.
- O resultado sairá nessa mesma postagem até 2 dias após o término da promoção.
- Os sorteados terão 03 dias para responderem o e-mail com seus dados. Caso contrário, iremos fazer novo sorteio.
- Cada blog terá até 40 dias após o resultado para enviar os livros ( não nos responsabilizamos por extravios dos correios).

a Rafflecopter giveaway
A promoção vai até 06/07. Boa sorte!!!!!

Um clássico por mês: O apanhador no campo de centeio

"Choveu na porcaria do túmulo dele, e choveu na grama em cima da barriga dele. Chovia por todo lado. O pessoal todo que estava de visita saiu correndo para os carros. Foi isso que me deixou doido. Todo mundo podia correr para dentro dos carros, ligar o rádio e tudo e ir jantar em algum lugar bacana - todo mundo menos o Allie. Não aguento um troço desses. Eu sei que é só o corpo dele e tudo que esta no cemitério, que a alma esta no céu e essa merda toda, mas assim mesmo não podia aguentar aquilo. Só queria que ele estivesse lá. Quem conheceu Allie entende o que estou querendo dizer." 

5/5 [Favorito] - Adicione no Skoob
Acho que deveria mudar o nome da coluna, já que a última foi há meses, mas me daria um trabalho gigante fazer um banner novo, então, vai ficar esse mesmo, ok? Mais então, por que será que é mais difícil escrever sobre aquilo que gostamos? Por exemplo, se eu tivese detestado a leitura, eu saberia enunciar para vocês tudo aquilo que me desagradou, mas acontece, que eu realmente amei esse livro, e para mim esses são os mais difícies de resenhar.

Holden não é um personagem fácil de gostar, no começo, achei que ele estava reclamando de barriga cheia, sabe, ele tem um família que o ama, condição financeira acima da média que lhe permite uma série de privilégios, então fica meio difícil entender por que o personagem não se esforça em nada e reclama tanto de tudo e de todos.

Então nesse comecinho me bateu um medo: "será que depois de tanto tempo querendo ler esse livro, eu vou achá-lo uma porcaria?", isso acontece muito quando a gente se enche de expectativa (o que ocorre comigo sempre), por isso parei um pouco e decide retomar a leitura depois. Foi uma excelente ideia, já que assim que retomei o livro e fui conhecendo mais sobre Holden e percebendo sua personalidade solitária e arrogante, me afeiçoei ao personagem, e não pude parar até chegar a última página.

Eu acho que de todos os livros que já li, eu nunca encontrei um personagem como Holden, nem mesmo o Charlie de As vantagens de ser invisível, que é um personagem que se assemelha, mas Charlie é um garoto doce, e Holden é ácido puro, ele reclama de tudo, principalmente do comportamento das pessoas, parece que todo mundo esta sempre fazendo as coisas de modo errado para ele, ou como ele gosta de dizer, de modo falso.

Mais é aí que você para e pensa: "Até que o garoto tem razão." E você se lembra que esse tipo de comportamento não é tão diferente daquele seu de ficar sentada na cantina da falcudade fazendo notas mentais sobre o comportamento dos outros, os julgando sem nenhum pudor. Chegou um momento da leitura que ficou dificil não se indentificar com o personagem, também não gosto de gente falsa, mas quem gosta? De pessoas que fingem ser o que não são para parecer legal, ou que agem de modo diferente com pessoas de status diferentes, ou de pessoas que não dizem o que pensam, e repetem o senso comum, a lista é grande, e isso deixa Holden maluco.

Ao mesmo tempo em que ele parece não querer se envolver com essas pessoas das quais ele vive reclamando, você percebe o quanto ele é carente, o quanto é deprimido, e solitário, o quanto por mais que ele não goste dessas pessoas, ele vive se cercando delas, seja, convidando um ex-colega de escola, que ele considera um cretino, para um drink, ou aquela garota, bonita, mas que ele acha falsa, para um passeio.

“Fico imaginando uma porção de garotinhos brincando de alguma coisa num baita campo de centeio e tudo. Milhares de garotinhos, e ninguém por perto - quer dizer, ninguém grande - a não ser eu. E eu fico na beirada de um precipício maluco. Sabe o quê que eu tenho de fazer? Tenho que agarrar todo mundo que vai cair no abismo. Quer dizer, se um deles começar a correr sem olhar onde está indo, eu tenho que aparecer de algum canto e agarrar o garoto. Só isso que eu ia fazer o dia todo. Ia ser só o apanhador no campo de centeio e tudo. Sei que é maluquice, mas é a única coisa que eu queria fazer.”

Quando Holden fala do irmazinho que morreu, até os mais insensíveis se deixam abalar, a relação dele com os irmãos é a mais linda possível, o Allie, que morreu, esta sempre em seu pensamento, ele lembra de momentos que viveram juntos, e de como gostaria de mudar algumas coisas, e como o irmão era sempre bom em tudo que fazia, eu não segurei as lágrimas em algumas passagens. A relação dele com a irmã mais nova também é linda, os dois conversam, brigam, ela puxa a orelha dele, ele quer o melhor para ela, e a cena final com os dois no parquinho foi perfeita.

Acho que Holden não tinha nenhuma perspectiva de futuro, e não ligava exatamente para o que ia acontecer com ele, para mim ele não estava assim tão ansioso para crescer, ele tinha medo de ser tornar como os outros, falso em suas atitudes e pensamentos. Ele não promete que vai melhorar ou se esforçar, já que ele não sabe como vai agir no futuro, segundo ele, também não tem como saber. E isso me deixou ansiosa demais, por que eu terminei o livro cheia de questionamentos sobre o que aconteceu com Holden, como foi o futuro dele? Será que ele teve algum? Se teve, conseguiu se livrar da falsidade, ou se tornou aquilo que ele mais temia? Eu comecei o livro achando que não fosse assim ser tão bom, mas quando cheguei a última página, ele se tornou um queridinho, um livro que eu vou querer reler diversas vezes, por que sinto que Holden ainda tem muito a me dizer.

“... como é que a gente pode saber o que é que vai fazer, até a hora em que faz o troço? A resposta é: não sei. Acho que vou, mas como é que eu posso saber?...”