Enquanto isso por aqui #18

*Lidos:
  1. Prazeres Malditos - Laurell K. Hamilton | Rocco
  2. Codinome Cassandra - Meg Cabot | Galera Record 
  3. Surpresa do Além - Charlene Harris | Lua de Papel
  4. Frio do Além - Charlene Harris | Lua de Papel
  5. Will e Will - John Green e David Levithan | Galera Record
Ufa, pensei que nunca ia conseguir sair dessa ressaca/depressão literária, esse mês eu consegui ler muito mais que em Julho, e espero conseguir manter esse ritmo para poder pelo menos alcançar minha meta, já que é quase impossível que eu consiga completá-la. 

*Compras:
  1. O cadáver que ri - Laurell K. Hamilton | Rocco
  2. Estudos sobre veneno - Maria V. Snyder | Harlequin
Esse mês eu comprei pouca coisa, além desses dois, eu comprei mais três que ainda não chegaram, e todos foram livros usados, acho que faz tempo que eu não economizo assim, pena que mês que vem eu vou me descontrolar, não vai dá para mostrar o mesmo auto-controle.

*Trocas: 
  1. Cidade Mágica - Drew Lerman | Bertrand Brasil
  2. A Rainha dos Condenados - Anne Rice | Rocco (Eu consegui esse livro por 1 crédito, sabe quanto custa? Dá só uma olhada aqui: Buscapé, foi uma das melhores trocas que eu já fiz, e o livro está super novo, é por isso que eu amo o skoob)
*Top 5: Livros em inglês
  1. The Boyfriend list - E. Lockhart
  2. Where Demons Fear to Treat - Stephanie Chong
  3. Half Blood - Jennifer L. Armentrout
  4. Two boys kissing - David Levithan
  5. Anna Dressed in Blood - Kendare Blake
* Resenha + AHHHHHHHHHHH preciso comprar:
Não foi necessariamente uma resenha, foi só a sinopse do livro que eu li e que vai ser lançado agora em setembro. Eu fiquei simplesmente apaixonada, e louca de vontade para ler O histórico infame de Frankie Landau-Banks, tem um sinopse simples, mas que promete uma ótima história. E se você gosta dessas coisas como eu, vale a pena ressaltar que a autora, E. Lockhart, é amiga de John Green, Maureen Johnson e Libba Bray.

* Melhor Leitura:
Eu sei que falo muito isso aqui, mas é sério, esse mês é impossível escolher um livro favorito. FORAM TRÊS! Primeiro foi o maravilhoso Prazeres Malditos, eu digo, e sempre vou dizer que não me canso de vampiros, e esse livro, a série toda na verdade, para quem gosta dessas criaturas da noite, é leitura obrigatória. E com uma protagonista sensacional, não tem como não amar. Codinome Cassandra, foi outra leitura gostosa, já faz um tempo que eu tinha lido o primeiro livro, e encontrar Jess e Rob de novo foi muito bom, Jess é uma das minhas protagonistas favoritas, e eu quero ler essa série toda logo. E o último foi Will e Will, eu já esperava uma leitura prazerosa,  mas superou minhas expectativas, e eu vou sempre levar essa história comigo.

Tag: Chatice Literária


1 - Um livro que você achou que seria legal, mas foi um saco?
Julieta Imortal. Primeiro me encantei pela capa e depois com a sinopse, logo estava doida para conhecer a história. Não é a pior coisa que eu já li na vida, mas para mim a história não fez sentido, achei que ficou com muitas perguntas sem respostas, e isso é um saco, não é como uma leitura que deixa implícito aquilo que quer dizer, nesse caso é tudo sem sentido e nem o romance fofo salvou a história.

2 - Um livro que todos dizem que é fantástico e você nhé?
Instrumentos Mortais (Série). Acho a história legal, mas é só. Antes de começar a ler a série, só via gente dizendo o quanto era fantástico, sensacional, então eu me preparei para uma história assim, mas não consegui me empolgar tanto, é uma história legal, eu dei até notas boas, e me diverti lendo, mas não me empolgou tanto.

3 - Um livro que tinha tudo para ser bom, mas é chato?
O legado da caça vampiro. A sinopse desse livro me deixou super empolgada, a história prometia, mas quando li, acabou me parecendo mal aproveitada. Quando eu comecei a ler, eu esperava uma aventura com pitadas de romance, a protagonista descobriu que era descendente de uma linhagem de caçadores de vampiros, a história se passa no século XIX e a mocinha, Victoria, se mostrou bastante independente a princípio, veja bem, como eu disse na resenha do livro, eu não sou contra romance, mas em algum momento desse livro a autora se perdeu, se Victória mantivesse um romance com o libertino Sebastian enquanto se desdobrava para manter a sociedade londrina em segurança dos vampiros, ótimo, eu daria cinco estrelas e favoritava o livro, mas ela meteu aquela bosta de casamento no meio, e a protagonista ficou nesse lenga lenga sem fim, mudando de foco a história, chatice pura. 

4 - Um livro com o personagem principal intragável?
Melancia. Eu terminei esse livro bufando de raiva, Claire é uma personagem insuportável, eu acho que nunca li nenhum livro com uma personagem tão mimada, tão inconstante e indecisa. PQP eu levei meses para ler esse livro, por que em alguns momentos eu queria matar ela, ainda mais quando aquele bendito do ex-marido apareceu e sei lá, eu estava vendo tudo vermelho na minha frente, de tanta raiva. Até hoje eu não consigo pegar outro livro da autora para ler, achando que vai ser a mesma coisa chata e intragável, alguém tem alguma dica, para passar essa má impressão.

5 - Um livro com final terrível?
Louras Zumbis. Esse final foi tão frustrante, o livro que já não vinha bem conduzido, terminou de uma forma que me deixou irritada, eu queria mais, queria saber o que aconteceu, se aquilo que deixou a entender era mesmo verdade, ou se era só imaginação minha mesmo. Acho que nunca vou saber. 

6 - Universo que você nunca gostaria de morar? 
Jogos Vorazes. Eu não gostaria de enfrentar a mesma coisa que a Katniss, apesar de eu adorar o livro, nunca gostaria de morar em Panem.

7 - Livro que você tem na estante, mas tem medo de ler por parecer chato?
Delírio. Eu não tinha muita vontade de ler esse livro, mas aí entrou em promoção no submarino e eu acabei comprando, mas fico numa luta interna, adiando o máximo a leitura como medo de encontrar uma história maçante.

8 - Livro que tinha tudo para ser chato, mas foi mó legal?
Percy Jackson: O ladrão de raios. Eu tenho que confessar que eu tive durante um tempo dessa minha vida, um certo preconceito com Percy Jackson, é, eu sei, maluca eu, mas enfim decide dar uma chance ao livro, e virei fã, achei a história deliciosa e quero ler todos os livros do autor.

Resenha: Surpresa do Além - Charlene Harris

4/5

Depois de me encantar com o suspense em Visão do Além, eu precisava continuar a série, e a verdade é que eu já tinha essa a sequência desde o lançamento, mas o meu senso de urgência está permanentemente avariado, por isso levei um tempo para dar continuidade a leitura, e valeu a pena, por que a cada livro, nós somos apresentados a mais uma história intrigante e cheia de mistério.

Desde que foi atingida por um raio, Harper ganhou estranhos poderes, o de encontrar pessoas mortas, mas para isso é preciso ter uma noção de onde o corpo possa estar, por isso quando ela é contratada por alguém, nunca dá garantia de que achará o corpo, e as vezes não acha mesmo.

Desde que decidiu usar os seus dons como uma forma de trabalho, ela tem que lidar com pessoas que duvidam de sua capacidade, e principalmente, achando que ela não tem caráter, e que usa a fragilidade das pessoas em momentos difíceis para conseguir dinheiro. Não que isso abale ela, até por que não esta fazendo nada errado.

Surpresa do Além se passa logo após o término do primeiro livro, Harper foi convidada por uma instituição de ensino para fazer uma demonstração em um antigo cemitério, como seria impossível ela ter acesso aos arquivos, recém descobertos, seria uma prova inequívoca de que ela é uma fraude, pelo menos era com isso que contava o professor que a convidou.

Porém para a surpresa de Harper e seu irmão, não é só antigos cadáveres que ela identifica ali em meio aqueles túmulos centenários, ela reconhece também o corpo de uma garotinha, e como se o caso não estivesse muito esquisito, aquele corpo pertence a uma criança que eles foram contratados para encontrar, mas que tinha sido um daqueles trabalhos em que os poderes de Harper não puderam fazer nada, eles não haviam encontrado nenhuma pista.

Agora, eles serão arrastado mais uma vez para uma investigação onde todos são suspeitos, e para a polícia, eles estão no topo da lista, por isso eles precisam por conta própria descobrir que é (são) o assassino, e nesse caso, são muitos suspeitos. 

Já tinha um tempo que eu não lia um suspense policial, é sempre uma leitura frenética, não dá para parar de ler antes de descobrir que é o culpado, e foi assim como esse livro, principalmente por que a história é toda misteriosa, como o corpo da menininha foi parar ali, em uma cidade aparentemente aleatória, são muitas perguntas, mas aí você descobre que a família da menina se mudou para aquela cidade, e você imediatamente já começa a imaginar que o assassino esta entre a família, mas quem seria, o irmão mais velho que tinha problemas de relacionamento com a irmã, a mãe que tinha brigado com a filha antes dela desaparecer, o pai que parece esconder algo, teria sido o avô, a avó, a tia, o tio, é uma loucura. Não vou dizer que foi um final surpreendente, eu suspeitava desde o começo, só não imaginava o motivo, completamente fútil, foi um excelente desfecho.

Tag: Hábitos Literários


Esse mês as coisas estão bem fraquinhas por aqui, mas consegui ler mais que no mês passado, e agora tenho várias resenhas para escrever, uhul.

1.Quando você lê ? ( manhã, tarde, noite, o dia inteiro ou quando tem tempo).
Eu não tenho um horário específico, mas geralmente gosto de ler de manhã ou de tarde, é o horário em que mais consigo me concentrar na leitura, e por isso leio mais. Mas de vez em quando eu leio a noite também, principalmente quando estou super interessada no livro.

2.Você lê apenas um livro de cada vez?
De vez em quando eu começo dois, ao mesmo tempo, e não tenho problema em me concentrar em histórias diferentes. Mas para mim é melhor ler um de cada vez pois o risco de abandonar um dois é muito grande.

3.Qual seu lugar favorito para ler?
Prefiro ler na sala.

4.O que você faz primeiro ler ou assiste ao filme?
Eu prefiro ler o livro primeiro. Mas só se eu tiver um interesse muito grande na história, desse jeito eu faço questão de conhecer a história antes, ainda mais que geralmente eles mudam bastante coisa no filme. Mas também já vi vários antes de ler os livros, geralmente por que nem sabia que era livro, ou não tinha muito interesse.

5.Qual formato de livro você prefere? (áudio book, e-book ou livro físico).
TODOS. Eu nunca experimentei um áudio book, mas adoraria. Quanta a eterna briga, que muitos insistem em alimentar, entre livros físicos e e-books eu não vejo sentido, eu gosto de ler, não importa o como.

6.Você tem algum hábito exclusivo ao ler?
Eu costumo sempre pegar alguma coisa para beber, geralmente café com leite, e esqueço que peguei o bendito e só lembro dele quando está gelado, e bebo mesmo assim. As vezes também levo o livro para a cozinha, e muitas vezes deixei alguma coisa queimar, por que precisava ler mais um parágrafo

7.As capas de uma série tem que combinar?
Sim. Eu pensava que não tinha esse problema, até que ele apareceu, fiquei bem incomodada com isso, e acho uma sacanagem as editoras mudarem as capas dos livros, principalmente quando nem terminaram de lançar uma série ainda. 

Resenha: Codinome Cassandra - Meg Cabot

5/5 [Favorito]
Depois de ser atingida por um raio e ganhar poderes paranormais, a vida de Jessica não foi mais a mesma, ela poderia ficar quieta e não dizer a ninguém sobre o que acontecia depois que ela via foto de pessoas desaparecidas, mas ela preferiu ajudar a encontrar crianças raptadas, e logo foi descoberta pelo governo, que queria usar seus poderes para fins bem menos nobres, com ajuda de alguns amigos precisou despistar eles, e agora diz que seus poderes sumiram, ainda ajuda a encontrar crianças desaparecidas de forma bem discreta, mas isso não quer dizer que o governo não esteja de olho. 

Agora que as coisas estão tão normais quanto se poderia estar quando se tem poderes sobrenaturais e se finge não os ter, Jess leva uma vida normal, ou quase, já que ela ainda ajuda o disque-desaparecidos, e o FBI não sai do seu pé, mas ela também tem os típicos problemas de uma adolescente 16 anos quase 17, como, por exemplo, o que fazer para fugir do trabalho obrigatório no restaurante dos pais durante as férias de verão.

Não tem jeito, a única opção além de trabalhar no restaurante, é uma vaga de monitora em um acampamento musical, onde sua amiga trabalha há vários anos. Ela fica bem animada, já que ela é flautista, mas tudo da errado desde o começo, e as coisas só tendem a ficar pior para Jess. 

Para começo de conversa, ela é transferida do dormitório das garotas, para se monitora de um grupo de meninos endiabrados, e para piorar sua substituta é ninguém menos que Karen Sue, a garota mais detestável do mundo. Mas até aí tudo bem, não é algo tão horrível assim, os meninos por mais levados que sejam não são páreo para Jess, e não há nada melhor do que implicar com Karen Sue.

Mas as coisas começam a ficar complicados quando Jess é abordada por um pai desesperado que esta a procura de sua filha desaparecida. No primeiro momento, ela não quer nem saber, mas aí ela vê uma foto da garota, e não consegue não se solidarizar com o pai e se conectar com a criança, mas antes de dar uma resposta sobre ajudar ou não, ela precisa investigar em que condições a menina vive, já que no passado um erro seu quase separou uma família. 

E é nesse momento em que as coisas ficam ruins mesmo. Veja bem, quando se mete nesses problemas a intenção de Jess são sempre nobres, fazer pais desesperados encontrar seus filhos desaparecidos, é gratificante, mas fazer isso quando se tem o FBI em seu encalço, e quando se irrita tanto uma pessoa a ponto de que ela te jura de morte, te faz rever alguns conceitos. 

Sou sempre suspeita para falar de Meg Cabot, já que sou fã incondicional da autora, mas acredite em mim quando digo que essa é uma das melhores séries YA, tem uma história empolgante e envolvente, uma protagonista que é impossível não gostar e um mocinho de tirar o fôlego.

Jessica é uma protagonista carismática, não é cheia daqueles mimimi que muitas vezes faz a gente sentir vontade de esganar algumas protagonistas, ela é sarcástica, boa de briga, e tem sérios problemas para controlar seu temperamento, principalmente quando está em jogo sua segurança ou daqueles que ela ama. Rob é um mocinho que faz qualquer uma suspirar, e esse toque de proibido na relação dele com a Jess, deixa tudo ainda melhor. 

Eu recomendo esse livro para quem está procurando uma boa leitura para se divertir e dar muitas risadas, para quem gosta de protagonistas apaixonantes e um belo bad boy, você vai encontrar tudo isso aqui. E os preços, por incrível que pareça, são lindos, surpreendentemente, então aproveita.

Livros já lançados no Brasil:
Codinome Cassandra - skoob || Compare preços 
Esconderijo Perfeito - skoob || Compare preços 

Resenha: Prazeres Malditos - Laurell K. Hamilton



5 / 5 [Favorito]

Apesar de ter começado a ser publicada em 1993, e ter volumes lançados até hoje, eu só conheci essa série no ano passado, e desde então eu fiquei louca de vontade para começá-la, mesmo sabendo da quantidade de livros, por que geralmente só descubro isso depois que eu comecei. O problema não é a quantidade de livros, que para mim tanto faz, na verdade, quanto mais livros, mais feliz eu fico, o meu único problema é com a editora que lança os livros aqui no Brasil, é Rocco, assim não dá, livros caros, acabamento meia boca, desleixo total, mas enfim, fazer o quê, vamos ao que interessa.

No mundo de Prazeres Malditos, os humanos sabem da existência das criaturas sobrenaturais, vampiros, lobisomens, e afins, e de certo modo, é uma convivência pacífica, mas assim como há humanos predadores, não é muito difícil imaginar que entre essas criaturas, existam perfis tão mal quanto e com certeza até pior. Anita Blake é a protagonista da série, ela trabalha como ressuscitadora - trazendo os mortos há um estado de semi-consciência, para os mais diversos fins, mas Anita não faz trabalhos escusos, quase sempre é contratada por pessoas com assuntos pendentes a resolver com esses mortos - e também trabalha com a polícia, auxiliando investigações e caçando vampiros.

Quando pensamos em um caçador de vampiros, certamente não pensaríamos em alguém como Anita Blake, mas as aparências enganam, e muito, ela é boa no que faz. Os caçadores não são grupos radicais que querem se livrar dos vampiros, que aqui são integrados a sociedade, por mais que tenha gente que se recusa a vê-los como membros dela, a lei, tanto para os que matam, como para os que morrem se faz presente, para caça-los é preciso que eles tenham cometido crimes e a justiça precisa aprovar a caçada, deu para perceber que eles vivem em uma sociedade + ou - organizada. 

Só que agora, quem está sendo mortos são os vampiros, mortes violentas, quem estaria por trás delas? É o que os vampiros querem saber, a polícia investiga o caso a passo lento, existe um grande dilema se matar vampiros, é ou não assassinato. Com uma investigação que deixa a desejar, os vampiros solicitam os trabalhos de Anita, só que ela recusa, não quer se envolver diretamente com eles, e já esta auxiliando as investigações policiais. O problema é que chega uma hora que ela não pode recusar mais, a vida de pessoas queridas ficam em perigo, assim como a dela própria. 

Por causa disso, Anita tem um desagradável contato com a vampira mais poderosa da cidade, uma criaturinha totalmente irritante, mas altamente perigosa e letal, ela quer, e obriga a caçadora a investigar os assassinatos, e assim ela se envolve cada vez mais nesse meio, encontrando até, um perigoso vampiro que achava que estava morto, e que assim que a proteção a ela for revogada, promete encontrá-la e se vingar pelo dano que ela causou, como se já não houvesse problemas suficientes, ela precisa se preocupar com mais isso.

No fim das contas a investigação acaba se tornando um pano de fundo para complicações maiores na vida de Anita, não dá para falar muitas coisas, sem contar spoilers, mas duvido que a vida dela fique mais fácil depois dos acontecimentos desse livro. Anita se tornou uma das minhas personagens favoritas, ela é forte, decidida, e encara os problemas de frente, é impossível não gostar dela. E uma das coisas que eu mais gostei é que os vampiros aqui não tem frescurite, tem os bons, os maus, eles bebem sangue, queimam no sol, não suportam artefatos religiosos, são donos de boates, são strippers, o convencional.

Sobre romance, nesse livro tem um pequenina pitada bem no comecinho e só, mas pelo que li sobre a série, nesse quesito as coisas tendem a ficar muito interessantes, por que os personagens masculinos são de tirar o fôlego, não vejo a hora de continuar a ler a série.