Enquanto isso por aqui #19


*Lidos:
  1. Desventuras em série: Inferno no Colégio Inerno - Lemony Snicket | Cia das Letras
  2. Desventuras em série: O Elevador Eartz - Lemony Snicket | Cia das Letras
  3. A Seleção - Kiera Cass | Seguinte
*Compras:
  1. Cidades de Papel - Jonh Green | Intrínseca
  2. No fundo do amor - Tera Lynn Childs | iD
  3. Persuasão - Jane Austen | Martin Claret
  4. A abadia de Northranger - Jane Austen | Martin Claret
  5. Emma - Jane Austen | Martin Claret
Eu fiquei apaixonada por essas edições da Martin Claret, já estava querendo a algum tempo, para completar agora faltam três. 

  1. Inveja - Anna Godbersen | Rocco
  2. Cretino Irresistível - Christina Hobbs, Lauren Billings | Universo dos Livros
  3. A desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin | Galera Record
  4. Trono de Vidro - Sarah J. Maas | Galera Record
  5. A viajante do tempo - Diana Gabaldon | Rocco
Essa foi minha compra de consolação por não ter ido a Bienal, foi a primeira vez que eu comprei no Extra, e o site tem ótimos preços, a diferença de preço para o Submarino e Saraiva são grandes, vou passar a comprar mais lá.

  1. Beijo da Morte - Ellen Schreiber | iD
  2. O beijo mais sombrio - Gena Showalter | Harlequin
  3. O circo dos condenados - Laurel K Hamilton | Rocco
Eu comprei esses livros em agosto, e chegaram bem no início de setembro, por isso esqueci de botar. Dá para entender o por que nos próximos dois meses eu não vou comprar nada. #exagerada 

*Trocas:
  1. Tão Ontem - Scott Westerfeld | Galera Record
  2. Pão de mel - Rachel Cohn | Galera Record
  3. A história do ladrão de corpos - Anne Rice | Rocco
  4. Ídolo Teen - Meg Cabot | Galera Record
  5. Sociedade Secreta: Rosa e Túmulo - Diana Peterfreund | Rocco
  6. Amor Infernal - Lisa Desrochers | iD
  7. Intriga - Anna Godbersen | Rocco
  8. Um mundo chamado timidez - Leanne Hall | LeYA
  9. Lola e o garoto da casa ao lado - Stephanie Perkins | Novo Conceito
Muitas trocas esse mês, e ainda tem mais para chegar!

*Top 5: Quero na minha estante já
  1. A ilha dos dissidentes - Bárbara Morais | Gutenberg
  2. Polícia Paranormal - Kiersten White | Galera Record
  3. O histórico infame do Frankie Landau-Banks - E. Lockhart | Seguinte
  4. Deixe a neve cair - John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson | Rocco 
  5. Eleanor e Park - Rainbow Rowell (Segundo notícias, a Novo Século vai lançar o livro em novembro)
*Resenha + AHHHHHHHHHHH preciso comprar:
Esse mês eu li várias resenhas sensacionais que me deixaram louca de vontade de gastar ainda mais, mas me controlei e eles ainda estão na minha lista de desejados, entre eles A música que mudou minha vida, que eu nunca tinha lido nenhuma resenha, fiquei encantada com a história. Tithe da Holly Black, me deixou super curiosa, a história é sobre fadas não tão boas, e por ser da Holly, já acho awesome. E por último a resenha do livro Como dizer adeus em robô, eu não tinha dado nada pelo livro, mas fiquei encantada com essa resenha aqui, e agora preciso ler. 

*Melhor Leitura:
Boneshaker. Eu ainda to lendo esse livro, mas com certeza é a melhor leitura do mês. Estou amando a história e os personagens, e vai virar favorito.

*Resenhas do mês:
A Seleção - Kiera Cass (Tem promoção também)
Sociedade Secreta (série) - Diana Peterfreund

Para quem quiser ver as capas do livro, clique aqui. 

Resenha: Sociedade Secreta (série) - Diana Peterfreund



Oi gente, dêem as boas vindas a Julia, que agora vai escrever no blog comigo, e para começar em grande estilo, a resenha dessa série maravilhosa.

A história é sobre Amy Haskel, que está no penúltimo ano de faculdade e, ela sabe tanto quanto os outros alunos do campus que o penúltimo ano de faculdade é o ano das sociedades secretas. É o ano em que eles começam a bajular você para que você contribua com seus planos caridosos ou nem tão caridosos assim. Talvez você entre, talvez não, mas saiba que eles são bastante exigentes quando se trata da pessoa que vai seguir com o seu legado. 

(Isso tudo acontece na Universidade de Eli, uma das universidades da Ivy League e que eu achava que existia e foi uma decepção quando descobrir que não. Sério, daria tudo para estudar lá.). 

Notinha básica: Para quem não sabe, essas sociedades, além das irmandades e fraternidades são bastante comuns nas universidades dos Estados Unidos. E com nomes um pouco estranhos (não que sejam estranhos, mas sei lá, dão um toque de comédia na coisa toda) como Skull&Bones (Caveira & Osso) da qual se fala na mini-biografia da autora que George Bush e John Kerry teriam participado.

Mas voltando à Amy. Ela está no penúltimo ano de faculdade e espera ir para a Pena&Tinta, já que ela cursa literatura. E ela deveria ir. Mas A Rosa&Túmulo, a mais famosa e misteriosa sociedade do campus chega primeiro. Tudo até agora parece tranquilo, mas não seria estranho a Rosa&Túmulo convocar a Amy sendo que ela não tem muito o que dar a eles, afinal, ela não é filha de políticos nem de um empresário rico. Além disso, ela é uma garota e essa sociedade só aceita homens. Essas dúvidas são apenas o começo.

Agora, a minha relação com essa série:


Essa série é tão tipo AIHDIAUDHSIUFGIUAGFUYGFYWGFUYG. Cada livro tem sacadas muito inteligentes e a autora sempre aborda um tema relevante e bom de discutir, como homossexualismo, feminismo e machismo além de toda a função do preconceito. No primeiro livro, a história da convocação de mulheres para a nova turma gera bastante confronto com os Patriarcas (esse é o pessoal mais velho da sociedade e são pessoas realmente muito influentes, gente que trabalha na Casa Branca e etc.) e, obviamente, tirando a parte do dinheiro, é isso que dá prestígio às sociedades do campus. Ainda que você não saiba exatamente quem faz parte de uma sociedade, principalmente da Rosa&Túmulo (afinal, elas são secretas), existem um monte de boatos e histórias/estórias de “ataques” que os membros de uma sociedade cometeram e são ataques que aparentam ter vindo de pessoas poderosas. Outra coisa: As sociedades ajudam muito os seus novos integrantes no mercado de trabalho, como eu falei ali em cima, a Amy esperava entrar para Pena&Tinta que a ajudaria no ramo editorial. 

Há intrigas fora e dentro da própria sociedade, tem muita politicagem e rivalidades com outras sociedades e, antes que vocês me perguntem, sim tem romance, mas é um romance que vai acontecer no seu próprio tempo. Vocês verão quando lerem os livros. Isso se deve principalmente porque esse não é o foco da história e a nossa protagonista não é uma pessoa que gosta muito de namorar. Ela não teve experiências muito boas também, então é compreensível, haha. 

Amy é uma personagem hilária. Lembro que quando eu pensei em ler a série, achei que apesar das capas, a história fosse mais dramática e que houvesse um pouco mais de mimimi por parte dos personagens, mas não. A narrativa corre solta de uma forma muito legal. A Amy ironiza várias situações sérias deixando um clima mais leve e dando um ritmo muito gostoso para a leitura. E não é só a Amy, são todos os personagens. Todos eles são extremamente cativantes e não são clichês. Uma das coisas que eu mais gosto nessa série é a diversidade de pessoas (personagens não, apeguei-me muito a eles para chama-los simplesmente de personagens, hahah). Eu disse ali que eles não são clichês, mas digo que você pode ver aquele que é apaixonado pela melhor amiga, a patricinha irritante, o playboy galinha à lá Chuck Bass... Mas isso tudo é no começo. Quando chega mais para frente, você consegue ver que aquelas são apenas uma das muitas partes que o pessoal dessa série tem e, mesmo com a Amy sendo a protagonista e sendo narração em primeira pessoa todos os personagens tem uma voz. A autora construiu tudo de uma forma que fosse possível conhecer bem todo mundo e isso é uma coisa muito boa que a gente não vê todo dia.  É tudo muito bem construído, a trama é sempre muito bem pensada e bastante inteligente, ah caramba é tudo muito, muito bom.

No segundo livro, Sob a Rosa, segredos da sociedade começam a vazar para a mídia e continua o assunto das mulheres inseridas na sociedade, porque vários (leia-se: Patriarcas rabugentos que vivem na idade da pedra) membros acreditam que sejam elas as culpadas pelo o que está acontecendo, mas também esse livro é onde a gente começa a ver como os novos membros estão agindo, como pessoas tão diferentes precisam se unir para o bem da sociedade e é muito legal a forma como a Diana Peterfreund fez isso. 

Em Ritos da Primavera, os membros da sociedade vão passar as férias de primavera em uma ilha particular dos Coveiros (membros da Rosa&Túmulo) e é onde coisas bem sérias passam a acontecer. Dessa vez é caso de polícia e aí o bicho pega gente, haha. Esse aqui é também o livro em que começa a aparecer o romance.

No quarto e último livro, Escolhas de Formatura, Amy e seus outros amigos coveiros estão se formando na faculdade e precisam escolher novos membros para substituí-los. Aí tem bastante conflito entre as sociedades dos campus, porque eles competem pelos membros e tem umas sociedades bem espertinhas. E, junto com tudo isso vem as despedidas. Gente, eu não cheguei a chorar nesse livro, até porque é realmente muito difícil um livro me fazer chorar, mas eu fiquei com a garganta apertada diversas vezes por causa desse clima de despedida e: “Ai meu Deus, o que eu vou fazer da minha vida agora?”. A autora faz a gente se apaixonar pelos personagens, faz com que a gente se importe com eles e ver tudo o que está acontecendo ali, toda a tensão e mais alguns mistérios que vem surgindo com os convocados em potencial fez com que eu tivesse grandes espasmos de ataques de fangirlismo JATSYAYUSGUYASGJAGSJDTGUYSDGASDG.

O final foi I-N-C-R-Í-V-E-L, simplesmente incrível! Deixou um gostinho meio doce amargo, ou eu acho que a palavra certa seja bittersweet, porque ele poderia ter acabado de uma forma super triste, mas aí a Diana vai lá e faz o show das poderosas dando um final perfeito para todo mundo e você não fica com aquela coisa na cabeça de “... e viveram felizes para sempre”, eles irão tentar fazer isso, como todos nós tentamos, é algo real. 

Agora minha reação com o término da série:



Se vocês ainda não perceberam, essa série é incrível e deveria receber bem mais atenção do que já recebeu. É uma série já bem antiga e o preço dos livros assusta um pouco, porque é mais ou menos na base de 47, quase 50 reais cada livro e apesar de eu achar que a história vale isso, a edição do livro não é nada demais, então recomendo para vocês darem uma olhada no Estante Virtual que deve estar bem mais barato.

Dois últimos motivos para vocês lerem a série:
Poe e Puck. Não sabem quem são? Leiam para descobrir, HAHAHA *risadamaléfica. (Malvada!!!)

Beijinhos e até a próxima!



Li até a página 100 e... #3 - Boneshaker

Meme do blog "Eu leio, eu conto", da Cibele, onde o blogueiro fala um pouco do livro que esta lendo. Qualquer pessoa pode participar.



Primeira frase da página 100:
"- É melhor que fique. Se vomitar, é problema seu, e você limpa. Trato feito?"

Do que se trata o livro:
Durante a corrida do ouro, os russos acham uma enorme mina na região do Klondike por volta de 1860, no Alasca, porém coberta com uma espessa camada de gelo, suas máquinas não dão resultado. Prestes a vender sua parte no Alasca, eles lançam um concurso para financiar um projeto, é aí que entra o dr. Blue e sua promessa de construir uma máquina perfeita. Mas em seu primeiro teste, a Boneshaker causa uma terrível tragédia, em uma fúria descontrolada, ela perfura parte do subsolo da cidade, liberando um gás venenoso, que se não mata, transforma as pessoas em zumbis. Os cidadães conseguem fugir a tempo, pelo menos uma parte deles, e constroem áreas de contenção nas partes afetadas, antes de enfim conseguirem fechar todas as partes infectadas. Quinze anos mais tardes conhecemos os membros remanescentes da família do dr. Blue, a viúva e seu filho, que esta determinado a provar a inocência do pai, mesmo que todos, inclusive sua mãe o considerem responsável por toda desgraça que aconteceu à eles. Para isso, Ezekiel decide fazer algo perigoso, e que sua mãe nunca aprovaria, ele resolve ir as partes isoladas da cidade, para encontrar a antiga casa dos seus pais, sem nem ao menos pesar as consequências do seu ato. Aí então que toda ação do livro se desenrola, e conhecemos a força de Briar, ela vai atrás do filho, e não aceita nada, senão trazer ele vivo daquele inferno na terra. 

O que esta achando até agora?
SENSACIONAL. Eu já sabia que o livro era steampunk e que tinha zumbis, por isso já era certo para mim, que eu ia gostar, mas ele acabou me surpreendendo muito, apesar do começo um pouco confuso, eu estou ansiosa para descobrir os segredos envolvendo a Boneshaker, e se Briar conseguirá resgatar Ezekiel.

O que esta achando dos protagonistas?
Briar é meu tipo de protagonista favorita, apesar de ser cabeça dura, ela é decidida e forte, e teve que passar por muitos problemas, por causa do que aconteceu, muita gente acha que ela é culpada pelo desastre. Ela teve que criar o filho sozinho em um lugar onde ninguém gosta deles, e mesmo que no começo ela questione seu papel de mãe, se é boa ou não para seu filho, não hesita nem um segundo quando tem que resgatá-lo.

Melhor quote até agora:
" - A senhora devia ter começado com isso. - disse Andan.
- Com o quê?
- Com o fato de que a senhora é filha de Maynard. Por que não fez isso?
Ela disse: - Por que afirmar que ele é meu pai, me marca como a viúva de Blue. Eu não sabia se o custo seria maior que o benefício .
- Muito justo - ele disse. E se levantou.! pág. 89
Vai continuar lendo?
Com certeza.

Última frase da página:
"- Não me importo que o diga - ela disse - Mas não há necessidade de fazer meu funeral ainda. Na terça-feira estarei de volta."


Resenha: A Seleção - Kiera Cass + Promoção

3,5/5

Desculpa pela resenha gigante, mas não teve como ficar menor. 

É claro que, quando foi lançado no ano passado, a capa de A Seleção não me passou desapercebida, e eu sou louca por capas bonitas, mas nem isso foi o suficiente para me fazer querer ler o livro, só depois algumas resenhas positivas de blogueiros que acompanho, me senti suficientemente instigada a conhecer a história. 

Aí eu comprei o livro, e como é de praxe, ele ficou na estante alguns meses até eu pegá-lo, o problema é que durante esse tempo eu li várias resenhas negativas, e isso me deixou com uma ideia pré-formulada, e eu comecei o livro achando que ia detestar tudo. Mas não foi bem assim.

O livro é uma distopia, mas não temos uma explicação sobre o que aconteceu, até tem uma coisinha ou outra, mas nada que esclareça suficientemente as dúvidas. O que sabemos é que a sociedade é divida em castas, da primeira, que é a família real, à oitava, que são os mendigos, das distopias que li, essa não é a mais cruel, mas é injusta como todas as outras, o caso é o seguinte, as castas convivem umas com as outras normalmente, porém, mesmo que seja possível, é altamente desaconselhável se casar com pessoas de castas inferiores, entretanto, essa é uma peculiaridade interessante, o príncipe precisa escolher uma menina do povo, ou seja, de uma casta inferior, para se casar. Estranho né, mas relevemos.

America Singer pertence a uma família de casta 5, e na medida do possível, eles conseguem se manter, mas as dificuldades são muitas, por isso quando ela recebe a carta para se inscrever  na seleção, sua mãe não consegue entender por que ela esta tão relutante em participar, já que a possibilidade de ser uma das selecionadas, mudaria toda a condição social deles. Mas o que ela não sabe, é que America namora Aspen, que é de uma casta inferior, e mesmo com o romance complicado, quase proibido, eles fazem planos para o futuro, e se inscrever para a seleção, com certeza, não é um deles.

Só que ele próprio a convence a se inscrever, e se isso já não fosse estranho, ainda termina com ela antes do anúncio das selecionadas, e isso é uma das coisas que mais me incomodou, esse romance não me convenceu, da parte de nenhum dos dois. Mas ok, não gostei do começo do livro mesmo. Tudo fica muito melhor quando ela é selecionada, e parte para o palácio, para conviver com a família real e as outras participantes.

Mesmo com o coração partido, America não pretende lutar pelo amor do príncipe, o que ela quer é ficar o máximo possível de tempo, para se afastar do motivo de sua dor, e para que sua família tenha provisões que os mantenha longe da fome, só que ela não esperava que o príncipe fosse boa gente, e que fossem ficar tão próximos. Maxon, é um personagem adorável, ele é gentil, bondoso, se preocupa com todos ao seu redor, e se sente particularmente atraído pela ruiva que diz que não querer nada com ele, e que ainda promete ajudá-lo a escolher a melhor candidata entre as 34.

Mas não é que, com todo o seu charme real, Maxon, também faz com que America se sinta atraída, mesmo não esquecendo seu antigo amor, ela também se apaixona. E seria muito simples se, ele a escolhesse e os dois vivessem felizes para sempre, né? É claro que o estrupício do Aspen dá um jeito de reaparecer na vida dela, e está determinado a reconquistá-la. Confesso que deu vontade de pular todas as partes que ele aparece, ô cara chato, tinha que aparecer logo agora que America estava se apaixonando. Bem, pelo menos essa assombração não foi capaz de destruir os sentimentos dela por Maxon, e agora ela se vê dividida entre dois amores.

Acho que não precisávamos de um triangulo amoroso, que é clichê, e eu adoro, mas só funciona quando é bem trabalhado, quando se trabalha bem as duas relações, quando a autora dá motivos para a personagem esta dividida entre dois amores, o que com certeza não é o caso desse livro. No caso de Maxon eu entendo, ele é todo charmoso, para mim seria impossível ela não se apaixonar por ele. Já com Aspen, é tudo forçado, não vejo atrativo nenhum nele, não sei o que me espera nos próximos volumes, mas se America ficar com ele, vai se a maior decepção literária da minha vida.

Prometo que já esta acabando, só gostaria de comentar uma coisa sobre a política local, QUE RAIO DE CASTELO É ESSE QUE OS REBELDES INVADEM NA HORA QUE BEM ENTENDEM? Por que é isso que acontece, o país está em guerra, e existem grupos que querem destronar o rei, e eles invadem o castelo a qualquer hora, e todo mundo tem que sair correndo para se esconder, espero mais explicações sobre isso, por que é estranho para cacete.

Para finalizar, apesar de algumas escolhas da autora não terem me agradado, no fim eu gostei da história, ela é uma delícia de ler, eu me apaixonei pelo Maxon, e fiquei curiosa para saber como vai ser a continuação dessa trama. O primeiro livro faz parte de uma trilogia, o segundo já foi lançado por aqui, e o terceiro esta previsto para 23 de abril, com lançamento simultâneo, assim como foi com A Elite, a editora Seguinte esta de parabéns.

E parabéns também a você, que é um campeão por ter chegado aqui. Para recompensar que tal concorrer a um exemplar de A Seleção e descobrir por que Maxon é muito melhor que Aspen. É só preencher o formulário aqui embaixo e ficar atento as regras.

- Ter endereço de entrega no Brasil
- Seguir o blog pelo GFC
- O vencedor deverá responder em três dias, caso isso não ocorra o sorteio será refeito. O prazo de envio é de 60 dias.

a Rafflecopter giveaway

Wishlist: Fadas

Não é segredo para ninguém, e vocês que leem o blog sabem, que eu sou apaixonada por seres sobrenaturais, mas percebi esses dias enquanto organizava minha estante, que eu quase não tenho livros sobrenaturais que não sejam com meus queridos dentucinhos, não é para menos, eles reinam absolutos em meu coração. Mas me dei conta de quantos títulos legais estava deixando passar, por que só penso em vampiro o tempo todo, e decidi fazer uma pesquisa para conhecer alguns deles, os livros que mais me encantaram foram os de fadas, alguns eu até já conhecia, outros eu nunca tinha ouvido falar, por isso decidi dividir minhas descobertas com vocês. Espero que gostem. 


Já começando errado, esse livro trata de elfos e não fadas, mas enfim, vou encaixá-lo aqui, por que sim. Essa capa é divina, e mesmo com as críticas negativas, quero conhecer a história, o enredo me parece aquele de sempre, garota descobre que o fato de ficar vendo coisas estranhas por aí está ligado ao fato do pai desaparecido ser um ser sobrenatural, estou curiosa com a mitologia e o enredo que as autoras criaram. O segundo volume já foi lançado aqui, e ao que parece vai ter só mais um. 

Fada ou planta? Achei bizarramente interessante essa combinação, a única coisa que me deixou com o pé atrás, é o famigerado triangulo amoroso, sério, não precisamos mais disso, já temos o suficiente, mas vou pagar para ver, parece que a série tem uma qualidade crescente, pelo menos é o que me diz as notas no goodreads. A série é composta por 4 livros, os três primeiros já foram lançados aqui no Brasil, e o quarto está previsto para dia 20 desse mês.

Outra série super elogiada, uma pena ainda não ter tido a oportunidade de comprar, é também um daqueles que podemos classificar em: "garota não sabe que é filha de um ser poderoso, e em algum momento da sua vida acaba dividida entre dois amores", eu realmente não me importo com tramas parecidas, contanto que sejam bem desenvolvidas, espero que seja o caso. Meu problema com essa série, é que fico com o pé atrás pela tradução e revisão da editora e pelo falta de respeito deles em prometer e não lançar as continuações. A série tem 4 volumes, dois lançados no Brasil. Também conta com um spin off, com dois volumes já publicados.

Eu já tinha visto inúmeras resenhas desse livro, mas eu nunca me interessei, agora, entretanto, passei a enxergá-lo com outros olhos, e já que estou nessa fase "quero ler tudo sobre fadas", esse livro foi para lista "quero ler". Li algumas resenhas e o enredo parece bem interessante, mesmo com o clichê "garota tendo visões" e o triangulo amoroso (DE NOVO), espero que essa misture de certo e que meu coração não sofra muito. Essa série tem as capas mais linda do mundo, é composta por 5 livros, e aqui no Brasil foram lançados os três primeiros, e mesmo sendo da Rocco, tem preços interessantes, é só dá uma pesquisada. 

EU NÃO VOU COMENTAR ESSA CAPA.
Vocês já gostaram de um autor mesmo sem nunca ter lido nada deles? Esse é meu caso com a Holly Black. Descobri hoje que essa série da autora já tinha sido lançada aqui no Brasil, e fiquei doida, ainda mais por que ela não conta histórias de um mundo das fadas, colorido e bondoso, as fadas de Holly, são más, invejosas e cruéis, mesmo tendo lido algumas críticas negativas, fiquei super curiosa para conhecer. O segundo volume também já foi lançado aqui, e sim, com a capa ainda mais feia. Lembram daquela antologia Zumbis x unicórnios, a Holly foi uma das organizadoras.

Já leram algum desses? Se sim, o que acharam? Tem algum livro sobre fadas, que não esteja nesse post, que você já leu e gostou?

É dia de festa: 2 anos de blog!!!!

Eu nem acredito que já fazem dois anos que estou escrevendo aqui, parece que foi ontem mesmo que eu comecei. Até meados de 2011 eu não conhecia nenhum blog literário, foi só depois de comprar um livro, Ler, viver e amar, que eu acessei o Leitora Compulsiva, totalmente ao acaso, e fiquei viciada, além de ficar bastante satisfeita com a resenha que li, passei a acompanhar todos os posts. 

Depois de conhecer o blog da Camila, não levou muito tempo para conhecer outros, como o Mundo Mel, que é um dos meus blogs favoritos, e nascer aquela vontade de criar um espaço só meu. E foi assim que, em setembro de 2011 eu criei o Sobre Mim e Meu Mundo. O começo foi bem tímido, eu tinha a pretensão também de escrever sobre coisas do dia-a-dia, e até escrevi um post, mas não foi além disso, até dezembro daquele ano o blog tinha pouquíssimos posts, e eu ainda estava indecisa sobre o que escrever. Foi só em janeiro do ano seguinte que eu decidi escrever somente sobre livros, e de lá para cá continua assim.

Assim como muitos outros blogueiros, eu também não tinha com quem falar sobre livros, e com o blog eu conheci tanta gente, tão doida quanto eu, que ama ler, e surtamos juntos, por diversos livros, lançamentos, sequências, e confirmação de adaptações, é simplesmente incrível ter com quem surtar, e criar o blog me proporcionou isso.

Mas, nesse meio tempo um milagre aconteceu aqui em casa, minha irmã, que até então não estava nem tchum para ler, passou a gostar, e não parou mais, agora vivo dizendo para ela "você precisa ler isso", e de vez em quando ela me dá ouvido, até John Green ela já leu, fiquei cheia de orgulho. Tenho que agradecer muito a ela pelo apoio, por sempre me ouvir, e ler minhas resenhas para ver se ficou bom, ir nos Correios para mim toda vez que eu peço, e, finalmente, por me aguentar toda vez que eu termino um livro, e não consigo parar de falar sobre ele. Te amo maninha.

Outra coisa que o blog me proporcionou também, foi conhecer novos autores, até então, antes de começar a blogar, eu conhecia pouquíssimos, e meus livros cabiam em uma prateleira, agora, eu tenho um lista gigante de autores favoritos, e preciso de outra estante, por que na minha não cabe mais nada. Autores como John Green, Neil Gaiman, Richelle Mead, Sarah Dessen, Daniel Handler, Maureen Johnson, Libba Bray, Gail Carriger que de outra forma eu teria pouco contato, passaram a ser favoritos. Também descobri os YA, eu sempre gostei, mas não sabia como denominar, agora, eu não vivo sem. I <3 YA.

Espero que esses dois anos possam se multiplicar, e eu consiga escrever aqui muitos mais, e possa conhecer pessoas tão especiais quanto as que já conheci e ainda mais livros awesome - que me levarão a falência - e ter ainda mais momentos especiais.

Um aviso importante, a Julia, que escrevia no blog The Bookstreet, agora vai escrever aqui, e trazer resenhas de livros sensacionais, vai ser muito bom ter ela como companheira de blog, ainda mais por gostarmos praticamente das mesmas coisas, essa semana já sai a primeira resenha dela. E um último aviso, as promoções para comemorar os dois anos de blog vão se postadas durante a semana, então fiquem de olho.

Resenha: Inferno no Colégio Interno

3,5/5

Desventuras em série #5
Para mim o quinto volume das desventuras dos irmãos Baudelaire, está longe de ser ruim, só que ela segue o mesmo molde dos quatro primeiros, e eu não vejo essa história tomar um rumo, a narrativa é muito boa, principalmente quando o autor conversar com o leitor, mas acaba ficando um pouco cansativo, eu quero mais, quero conhecer os segredos da família Baudeleire, quero descobrir se o Sr. Poe é um pilantra, quero descobrir mais sobre o Conde Olaf, quero saber quem é Beatrice (acabei de ir procurar no Google e acabo de estragar uma surpresa, não façam isso), são muitas coisas que eu quero saber e nesses cinco primeiros volumes não tive respostas.

Os irmãos Baudelaire sofrem demais (como o autor deixa claro, essa não é uma história feliz), sinto uma dó, eles sempre são tratados mal, tem que enfrentar todo o perigo sozinhos, e quando por fim desmascaram o Conde Olaf, ninguém lhes dá atenção, até que seja tarde de mais, e ele consiga escapar. É um contraponto interessante que o autor faz, os adultos na série, são ou muito ingênuos, ou muito tapados, ou malvados mesmo, ao passo que as crianças, até as mais pestinhas, são muito espertas.

Assim como nos volumes anteriores, o Sr. Poe (QUE ÓDIO GIGANTE EU SINTO DELE) precisa encontrar um lugar para os irmãos ficar, assim sendo, eles os envia para a escola preparatória Prufrock.  É claro que, seguindo a linha de tratamento padrão, o diretor da escola é um serzinho extremamente arrogante e malvado, e não os trata nem um pouco bem, veja só, nem um quarto adequado ele arranja, manda-os para um barraco, onde vive outros dois órfãos, Duncan e Isadora, mas se algo acontece de bom nessa história, é que eles logo se tornam amigos.

Dessa vez ele demorou a aparecer, dando de certo forma, uma alívio para os Baudelaire, e para os leitores, mas como nada na vida deles é fácil, mesmo sem o Conde Olaf para lhes atormentar, é preciso lidar com o enfadonho sr. Nero, Carmelita Spats, uma garota extremamente desagradável, que faz da vida deles um inferno (maior do que já é) e com regras extremamente absurdas.

Mas até aí tudo bem, apesar de não ser um paraíso, só de se sentirem livres do Conde Olaf, eles podem lidar com as situações esquisitas na escola. Mas aí ele aparece, e ninguém se dá conta disso, a não ser os irmãos, claro. E aí tem outro ponto da história que eu adoro, Violet, Klaus e Sunny, são inteligentes e bem safos, mas eles não são super heróis destemidos, eles sentem medo, sem saber quando o conde vai aparecer, e o que ele vai fazer, e mesmo que de certa forma eles consigam se livrar dele, nunca é sem perder algo, e mais uma vez eles provam isso.
"Vocês provavelmente pensaram, ao ler que as crianças estavam a ponto de alcançar o inimigo, que agora os órfãos Baudelaire apanhariam o terrível vilão, e que encontrariam bons tutores, e que Violet, Klaus e Sunny seriam razoavelmente felizes pelo resto da vida (...) E vocês podem até acreditar que esse é o desfecho da história, se quiserem. Os poucos acontecimentos que encerram este capítulo da vida dos órfãos Baudelaire são incrivelmente infelizes e apavorantes; assim, se preferirem ignora-los por completo, devem fechar o livro agora e imaginar um final agradável para esta horrível história." pág. 189
Mesmo esse meu problema com a falta de informação, e as tramas parecidas, eu não vou deixar de ler a série, eu gosto demais da escrita do autor, e agora que eu comecei, não tem como voltar atrás, e eu vou lendo aos poucos, por que pretendo consegui-la somente em trocas no skoob (já tenho 6), essa série é gigante, ao todo são 13 livros, mas isso não me desanima, quero saber como tudo vai acabar, por que os órfãos merecem ser felizes.

Para ler a resenha dos livros anteriores: 1 | 2 | 3 | 4

Tag: Livros opostos

Vi essa tag no blog da Melina Souza, achei curiosa e resolvi responder, como eu sou muito tímida para fazer um vídeo, fiz em foto mesmo, espero que não se importem. Essa tag foi criada pelo Bruno do canal Minha estante (que é muito bom, se vocês não conhecem - acho difícil - tem que conhecer), se quiser responder, credite por favor.


O primeiro livro da minha coleção, meu xodozinho, é A garota americana da Meg Cabot. Eu comprei já faz anos, e tem essa capa, que é mil vezes mais linda que a atual (até quando eles vão ficar mudando as capas assim, ninguém gosta disso). E o último livro que chegou para mim foi Cidade Mágica, que eu consegui numa troca e estou doida para ler, fiquei super animada com as resenhas que li.


O livro mais barato que eu já comprei foi A segunda breve vida de Bree Tanner, que foi cinco reais, até hoje eu não li, e não sei bem o que esperar. E o mais caro, foi Emily The Strange, que custou cinquenta reais, e apesar de eu não gostar de gastar mais de trinta reais em um livro, eu tinha que levar, foi amor a primeira vista.


Eu adoro (e prefiro) livros narrados sobre o ponto de vista masculino, eu não sei por que, para mim é muito mais fácil me conectar com o personagem, enfim, um dos meus personagens favoritos é Harry Dresden - o único livro da série que eu li foi Frente de Tempestade - ele tem uma falta de sorte tão grande, que acho difícil não achar engraçado, e mesmo que em posições totalmente diferentes, me identifico completamente. Minha protagonista favorita é Rose Hathaway, da série Academia de Vampiros (falo um pouco dela aquiela tem atitude, é sarcástica, impulsiva, para mim é impossível não gostar dela.


Eu sempre leio os livros da Meg rapidinho, não consigo parar até chegar a última parte, sempre com um sorriso no rosto. Eu li Quando cai o raio numa tarde, a história flui e é uma delícia, é super engraçado, e como é marca registrada da Meg, tem um mocinho apaixonante. O Simbolo perdido eu demorei para ler, não por que a história é ruim, mas por que eu estava ocupada com outras coisas, e não tive tempo para o livro, ele é bem grosso e levei quase dois meses lendo.


Eu descobri que na minha estante, quase todos os livros tem belas capas, e foi difícil escolher a mais bonita, escolhi então Feita de fumaça e osso, eu adoro essa capa, que assim como a sinopse, confere todo um ar de mistério a história, eu ainda não li, mas como minha irmã, que adora dar spoiler já leu, já sei tudo o que acontece, e uau, promete.  Os livros da Martin Claret tem em sua maioria capas feias, e As flores do mal não é diferente, custa fazer uma coisa mais bonita, tipo, essas edições mais recentes dos livros da Jane Austen (aqui)



Eu não tenho muitos nacionais aqui em casa, não por que não gosto, mas acontece que são poucos que chegam a meu conhecimento e sinto vontade de ler, e os preços as vezes não ajuda. O livro que eu escolhi foi A batalha do apocalipse, do Eduardo Spohr, um dos meus livros favoritos, uma história que me prendeu do início ao fim, um batalha épica, e o protagonista, meu preferido para sempre, entre todos os que já li. Agora um *momento confissão*: teve um momento na minha vida que eu tinha certo preconceito com os nacionais, achava que a qualidade não era tão boa e que uma história que se passa no Brasil, não poderia ter o mesmo charme que uma que se passa nos EUA, por exemplo, mas ainda bem que nessa vida nós podemos mudar de opinião, e esse livro foi o responsável por me fazer apreciar nossa literatura. Escolhi Legend por que foi um dos melhores livros que li esse ano e foi uma leitura frenética, preciso urgentemente da sequência.


O livro mais fininho que eu tenho é Um estudo em vermelho, ele é tão pequeninho, que quando chegou eu achei que a loja tinha esquecido de mandar. Eu sempre tive curiosidade para ler as aventuras de Sherlock, e eu adorei a história, muito triste por sinal, espero ler mais. Apesar de ser uma compilação de 7, As Crônicas de Nárnia é o maior livro da minha estante, ainda não terminei de ler, só li as 4 primeiras, e a minha preferida é O cavalo e seu menino e o O príncipe Caspian. Curioso é que a adaptação do primeiro filme foi perfeita, algum detalhe ou outro diferente, mas em essência, igual a obra, já Príncipe Caspian é bastante diferente, eu também gosto do filme, mas se fosse tão bem adaptado quanto o primeiro, teria feito um sucesso ainda maior.


Tinha várias opções para escolher, decidi por Just Listen por que é um dos meus livros favoritos, e que fez eu me apaixonar pela Sarah Dessen e sua narrativa deliciosa. Tenho poucos de não-ficção, esse sobre mitologia é meu preferido, adoro estudar o assunto.


Vou confessar que, eu não li Para Sempre, mas por tudo o que ouvi falar classifiquei aqui, posso estar errada (e provavelmente estou), mas eu não tenho nenhum livro meloso aqui em casa, eu detesto esse tipo de história e prefiro evitar. Quer história mais cheia de ação que a trilogia Jogos Vorazes? Meu livro favorito é o segundo, fiquei extremamente tensa lendo, e putz, que história frenética. 


Enquanto lia As vantagens de ser invisível me batia uma angústia, ainda mais nas partes que Charlie ficava sozinho, que me fazia de certo modo me lembrar como era minha adolescência, e aquela sensação horrorosa que eu sentia de vez em quando. Um livro que eu amei e me deixou muito feliz foi O segredo de Emma Corrigan, que livro maravilhoso, até agora meu preferido da Sophie Kinsella. 

Resenha: Frio do Além - Charlene Harris

5/5

Eu fiquei apaixonada por essa série e sinto ela melhorar a cada livro, foi com essa expectativa que assim que terminei Surpresa do Além, peguei esse e como o segundo, foi uma leitura frenética, como também havia sido o primeiro, mas diferente deles, a autora não conta a história de um assassino movido a vingança ou ganância, Charlene nos apresenta a verdadeiros psicopatas, sedentos de luxuria e sadismo, fiquei horrorizada com a conclusão da investigação, a autora acertou em cheio, mais uma vez nos mostrando como as aparências enganam.

Harper e Tolliver estão sempre na estrada, metidos nos mais diversos casos, as vezes eles chegam, fazem o trabalho, recebem o pagamento e vão embora, mas em alguns casos, como o de Doraville, eles são arrastados para uma investigação policial densa e perigosa, mas até hoje em nenhum outro caso, eles se depararam com tamanho o horror e correram tanto risco de vida.

Doraville é uma cidade como outra qualquer, pequena, poucos habitantes, onde todos se conhecem e vivem numa aparente harmonia. Mas é só aparência mesmo, há cinco anos, misteriosos desaparecimentos intrigam os moradores, cinco jovens de boas famílias sumiram sem deixar rastro, para o xerife os rapazes simplesmente fugiram, o caso só toma um novo rumo quando uma nova xerife é eleita, com o apoio de alguns moradores, parentes dos rapazes desaparecidos, chama Harper para dar uma parecer sobre o caso.

Fico impressionada com a quantidade de segredos que Harper e Tolliver encontram nessas cidadezinhas, e em Doraville não é diferente, como expliquei na outra resenha, o poder de Harper tem suas limitações, para achar um corpo, é preciso ter uma noção de onde ele possa estar, é como tentar enxergar no escuro, nem sempre dá certo. Seguindo a orientação da xerife, com as poucas pistas que tem, eles saem em busca de respostas, e é então que se deparam com o horror na terra.

Nesses anos em que estão na estrada, os dois irmãos nunca tinham se deparado com um caso de serial killer, e agora, depois de achar os corpos dos garotos, que foram mortos com requintes de extrema crueldade, os dois são obrigados a permanecer na cidade. A questão é, para subjugar aqueles rapazes, era preciso mais de uma pessoa, provavelmente alguém que eles conheciam, e que não representava nenhum perigo iminente, mas quem, em uma cidade pequena e aparentemente normal seria capaz de violentar e torturar até a morte?

Se no livro anterior eu tinha, desde o começo, uma noção de quem poderia ser o assassino, nesse livro eu fiquei realmente impressionada, o que gosto na autora é como ela desconstrói essa noção de aparente normalidade que deveríamos encontrar no interior, não digo que em todos os lugares, encontramos assassinos frios e cruéis, como os desse livro, mas todo mundo tem um segredo, e as vezes eles levam a morte, e a autora sabe explorar isso da melhor maneira.