[Resenha] Seraphina - A garota com coração de dragão

Seraphina - Neste livro você vai conhecer Seraphina Dombergh, uma garota de 16 anos com grande talento para a música e que possui um terrível segredo. A história se passa no reino medieval de Goredd, onde seres humanos e dragões convivem em harmonia durante décadas, desde a assinatura do Tratado de Paz. Criaturas extremamente inteligentes que podem assumir a forma humana, os dragões frequentam a corte como embaixadores. Seraphina se torna assistente do compositor da corte justo quando um membro da família real é assassinado bem ao estilo dos dragões. O clima começa a ficar perigosamente tenso e Seraphina passa a colaborar com as investigações, ao lado do capitão da Guarda da Rainha, o Príncipe Lucian Kiggs. Durante essa jornada que pode destruir a paz entre humanos e dragões, a fachada cuidadosamente construída por Seraphina começa a desmoronar, tornando cada vez mais difícil manter seu segredo, cuja revelação seria catastrófica em sua vida.
Autora: Rachel Hartman | Editora: Jangada | Gênero: Fantasia | Série: Sim | Nota: 5/5
Um dos meus blogs favoritos decidiu criar um clube do livro (você pode conferir clicando aqui) e como sair da rotina de vez em quando é bom e todo mundo deveria tentar, decidi participar. Havia duas opções de livros: Seraphina (UOWWWW!!!!) e Cidades de Papel (que eu tinha aqui em casa, mas não estava no clima para ler), optei por Seraphina, por dois motivos: 1) Dragões que podem assumir a forma humana.  Não precisa de explicações 2) Acabei de comprar Dragon Age Inquisition, e estou na vibe.

Eu sempre fui fã de aventuras épicas, daquelas que tem cavaleiros, castelos, príncipes e princesas, então, quando eu começo a ler um livro tipo Seraphina, eu logo fico cheia de expectativas, torcendo para que a história seja interessante, instigante, prazerosa, e graças ao universo, Seraphina me proporcionou tudo isso, tirando algumas questões desnecessárias, o livro ganhou 5 estrelinhas e um lugar no meu coração.

Os humanos e dragões foram por muito tempo, lados opostos em uma longa guerra, com inúmeras perdas, até que um dia, representantes de ambos os lados resolveram criar um acordo de paz, que proporcionou uma intensa troca cultural entre as espécies. Como os dragões podem assumir a forma humana, muitos vieram morar na corte exercendo diferentes profissões, eles são facilmente identificados, pois precisam carregar um sinal, mas sem isso passariam perfeitamente como humanos, e isso causa medo, por isso a convivência nem sempre é pacífica.

E a tensão aumenta mais ainda a poucos dias da comemoração de 40 anos do tratado de paz, quando o ardmagar Comonot, o líder dragão, fará sua primeira visita a corte com sua comitiva, o príncipe Rufus, é terrivelmente assassinado, e todas as evidências levam a crer que ele foi atacado por um dragão, mas teria o tratado sido quebrado?

Em meio a todo caos com a morte do príncipe, e a crescente tensão entre humanos e dragões, conhecemos Seraphina, uma garota de 16 anos que precisa esconder um grande segredo, que se descoberto seria o fim de sua família. Mesmo assim, contra todos os conselhos de seu pai, Seraphina decide ir atrás de seu sonho, e consegue o posto de assistente do músico oficial da corte, e inclusive dá aulas particulares para a princesa Glisselda. Seraphina, é aquele tipo de personagem que você gosta logo de cara, a autora foi muito feliz em construir uma personagem com personalidade com a qual é muito fácil se identificar.

O segredo de Seraphina é revelado bem no início da trama, e é um dos motivos pelo qual ela acaba no centro da investigação da morte do príncipe, e nas intrigas políticas que vão surgindo no decorrer da trama. Quantos acontecimentos!!!!! A autora criou uma história bem amarrada, ela soube interligar muito bem os fatos que foi nos apresentando, o que me satisfaz como leitora, por que eu detesto cliffhanger.

Preciso confessar que eu amei tudo em relação aos dragões, essa sem dúvida é a minha parte favorita da história. A forma como a autora nos apresenta os dragões é sensacional, em contraste com os seres humanos, eles são criaturas frias e racionais, que buscam a perfeição, mas quando se transformam, precisam lidar com a bagunça emocional que é ser humano, uma luta interna entre se abster totalmente dessas emoções, e abraçá-las quase inconscientemente.

Uma questão que merece destaque é a representatividade da mulher, a autora foi feliz em construir personagens que tem voz própria, como a princesa Glisselda, que contra todo mundo assumiu o reino quando foi necessário, tem também a rainha que foi uma das responsáveis pelo tratado de paz, e é claro a Seraphina, que saiu de casa para ir atrás do seu sonho, mesmo com todos os riscos, ela foi atrás daquilo que queria e conseguiu.
 
Este post esta super atrasado, mas espero que gostem da resenha e leiam Seraphina. 

2 comentários:

  1. Oi Ju, estou doida para ler este livro, tb adoro livros com temática assim, eu adorei ler Firelight e ainda não me conformo da editora não lançar a continuação.
    Bom, voltando aqui, adorei ler sua resenha e saber que virou favorito, espero ler logo, é a primeira resenha que leio..


    beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  2. Ju estava com saudade de ler suas resenhas e fiquei feliz quando vi que vc resenhou esse livro que a tempos desperta minha curiosidade. Pelos pontos que vc indicou tenho certeza que irei gostar da leitura. Só fico um pouco preocupada se a editora irá lançar os livros seguintes da série em um prazo aceitável. Mas enfim adorei acompanhar suas impressões e fiquei mais curiosa para ler.
    Beijos e ótimo fim de semana!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.