Playlist #2: Rock


Eu falei muito pouco aqui no blog sobre as músicas que gosto, no pouco que eu mostrei, quem leu deve ter percebido o quanto o meu gosto musical é eclético, eu escuto pop e rock numa boa, escuto mpb, música clássica, kpop, e até já ouvi funk, pagode, samba, sertanejo só para ter certeza que não gostava, acontece que para mim o que você curte ouvir não precisa fazer sentido, apenas tem que ser bom para você. Digo isso, por que conheço gente adora ditar regras aos ouvidos alheios, o que convenhamos, é um absurdo, tanta coisa para se preocupar na vida, e a pessoa acha ruim você ter Slipknot e Super Junior na mesma playlist. Supera isso!

Eu não lembro exatamente como eu me dei conta de que rock era a melhor coisa já criada nesse mundo, mas de repente eu queria algo diferente. Lá em 2002, quando eu tinha 13 anos, a Avril Lavigne ganhou meu coração, e discussões a parte se é rock ou não, só sei que naquele momento representou um ruptura de tudo que eu conhecia até então no quesito musica, senti esse necessidade louca por mais, e cada vez que descobria uma banda nova, mais apaixonada ficava. Aí no decorrer da minha adolescência eu me apaixonei por diversas bandas e artistas que ouço até hoje.


Engraçado, por mais que eu ame rock desde quando era adolescente, nunca senti a necessidade de me vestir de preto e odiar o mundo, como boa parte dos rockeiros que eu conhecia na época faziam, a verdade, é que até hoje as pessoas que me conhecem nunca imaginam que eu ouço rock, o que me faz ganhar olhares desconfiados, sempre que o assunto é mencionado, mas é musica sabe, eu não preciso me vestir desse jeito, ou me comportar de determinada forma, eu só preciso sentir, é isso que importa. Mas, não quer dizer que eu não curta o estilo, eu adoro tattoos (tenho mil planos), piercings (falta para fazer o meu primeiro) a atitude, a rebeldia, curto isso, não por gostar de rock, e sim por que isso faz parte de mim desde que eu nasci.


Para não fazer um playlist gigante, coloquei só as bandas que mais curto ouvir no momento, me segurei para não colocar todas as músicas do Hollywood Undead, estou em um estado critico de vício.


"Daughters of darkness, sisters insane, a little evil goes a long, long way, we stand together, no we're not afraid, we'll live forever" 


"You better check twice, look under your bed, turn on your nightlight, cover up your head, 'cause we do exist, and there's no need to pretend, that you're not afraid of me and the undead"

"I'ma break these chains, ran thru the rain, never look back, never quit, work thru the pain, this blood in my veins runs cold, when I think I'll never be the same, but I never lose hope."

"I've come way too far for this, i've put in too much work, i've dealt with too much hurt, i worked way to hard for this, we live in dark places, dark places." 


"What a day? Seconds, minutes and hours spill over, there's no time here in space, what a day? I see beauty in everything, but the world is still fading away."



1 comentários:

  1. Bah, eu também comecei a escutar rock na pré-adolescência com Avril Lavigne, na verdade, a primeira música desse estilo foi aquela com a vocalista do Evanescence e o atual namorado dela na época. Nunca lembro o nome :'( haushaus' Mas a partir daí, me fascinei pelas bandas e cantores desse estilo e fui moldando meu repertório musical ao longo dos anos, principalmente com a ajuda da MTV (saudades). Hoje ouço mais rock alternativo e algumas cantoras indie pop, faz mais meu estilo. Já me vesti toda de preto, com maquiagem pesada e tudo, mas nada muito exagerado e isso aos 15 anos de idade (empolgada feelings). Hoje também penso como você, não preciso me vestir de tal forma pra dizer que gosto de certo estilo, música é pra ouvir, sentir, apreciar da forma que você quiser.
    Da sua playlist só conheço Within Temptation, que já ouvi uma ou duas músicas. Nesse sub-gênero do rock eu não conheço muito sobre. Mas gostei muito do post <3

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Oi!! Eu falo muito abobrinha, então obrigado por comentar.

Lembre-se de ter cuidado com os spoilers, e sempre respeite as opiniões contrárias.