Os melhores de 2015

O ano passou voando, quando vi já era dezembro e estava montando a árvore de natal, e agora já é quase fim de janeiro. 2015 foi um ano bom em vários sentidos, cresci profissionalmente, fui a um show fantástico, coloquei a casa em ordem, comecei a ler Harry Potter, vi filmes incríveis, vi doramas, fui a Bienal!!!!, deixei o cabelo crescer, venci o Rio de Janeiro, e se possível, fiquei ainda mais nerd e fujoshi.

Enfim, foi um ano especial e para começar 2016 com o pé direito, nada melhor do que relembrar o que fez de 2015 um ano tão bom, para não fazer um post sobre cada assunto, vou escrever tudo aqui mesmo, assim, emboladinho. Espero que gostem!!!

Cinema: Star Wars: O despertar da força
Não tenho vergonha de dizer que só comecei a gostar de Star Wars agora, todo esse hype que o novo filme gerou, me deixou curiosa para entender por que esse universo é tão amado. Acho que nunca é tarde para se tornar fã. Agora quero conhecer mais do universo expandido. PS: É fácil entender por que todo mundo é tão apaixonado.

Séries: Sense8
Assinei a Netflix só por causa de Sense8, obviamente foi a melhor coisa que já fiz na minha vida! A série é divertida, mesmo quando você não esta entendendo nada, os personagens, a maioria pelo menos, são apaixonantes, como a Sun, que é minha diva, lutadora, fodona, lacradora. Eu preciso da segunda temporada já!!

Música: Made - Big Bang
Em 2015, o Big Bang fez o seu comeback, quase três anos depois do sucesso Fantastic Baby, e eu tive a oportunidade fantástica(!) de conhecer e me apaixonar por esse grupo, que hoje é o meu favorito absoluto. O albúm Made teve 8 faixas, acompanhadas de 7 MV's, foram meses curtindo e esperando qual seria o próximo lançamento e como ele acabaria comigo, minhas músicas favoritas foram: Bae Bae, Bang Bang Bang e Let's Not Fall in Love.   

Livros: Cut and Run (série)
Cut and Run é uma série de nove livros, que conta desde o início o relacionamento entre os agentes do FBI Tyler Beaumont e Zane Garret, a principio os dois se destetam, e formam o casal mais improvável ever, mas a química inegável entre os dois, evolui de uma forte atração, para um relacionamento intenso, cheio de altos e baixos, revelações bombásticas, tiros, violência e amor. Terminei o sétimo livro na semana passada, realizei que falta apenas dois para o fim, não estou lidando muito bem, esta difícil.

Game: Remember Me
Remember me é exatamente o tipo de jogo que eu gosto: sair por aí distribuindo porrada, é relaxante. O jogo foi lançado em 2013, não sei se teve repercussão na época, por que é um jogo pouco falado, mas é sensacional. Vi um gameplay num canal gringo, e fiquei obcecada, ele é simples, mas tem suas dificuldades, uns puzzles legais, e até um plot twist (por mais que estivesse na cara).

HQ's//Mangás//Graphic Novel: Muitas emoções
Eu cumpri a minha principal meta literária do ano, li mais de 50 mangás/hq's/graphic novels, portanto escolher os melhores é um pouco difícil, por que cada um foi especial a sua maneira. Para eleger de forma justa, vou escolher três, em HQ, a grande surpresa foi Miss Marvel, uma super heroína muçulmana? É claro que eu tinha que ler (a Panini está lançado o primeiro encadernado no Brasil). Meu mangá favorito foi um que me fez chorar de um jeito que nenhum outro tinha feito antes, Dengeki Daisy tem uma história maravilhosa, emocionante e divertida. E por fim, Nimona foi a última coisa que li em 2015 e fez um estrago no meu coração, me levando as lágrimas, a história é bem diferente do que eu esperava, e me conquistou de um jeito único (estou reunindo forças para escrever uma resenha que seja a altura da história).